H4android - Persistencia fácil em SQLite no Android 2.2

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Apresentação desta ferramenta para mapeamento objeto relacional para o SQLite no Android 2.2. Com este framework é possivel efetuar as operações básicas de um CRUD sem precisar de uma linha sequer de SQL.

Objetivo

Neste tutorial tenho o intuito de apresentar o usuário a uma simples utilização do h4Android para criar uma base de forma dinâmica baseado no modelo mapeado, bem como um pequeno exemplo de persistência baseado num objeto pertencente à uma classe mapeada.


Tutorial

1º Crie um novo projeto Android no Eclipse
  • Informe o nome do projeto como testh4a.Informe a versão que deseja utilizar Android 2.2.
  • Informe o nome do pacote br.org.h4a.test, neste ponto você já pode finalizar a criação do projeto;
2º Acesse a página do projeto no em http://code.google.com/p/h4android/, vá na aba Downloads e baixe o arquivo h4android_2_2-0.0.0.1.jar. Salve numa pasta de sua preferência.

3º De posse da biblioteca h4android_2_2 selecione seu projeto e adcione o JAR externo do h4Android.

Neste ponto seu projeto deve estar como o da imagem abaixo:


4º Bem neste ponto sua aplicação já está apta a utilizar o h4Android.

Crie um pacote qualquer no seu projeto para inserir as classes que devem ser mapeadas como entidade no banco de dados, eu criei um pacote com o seguinte nome br.org.h4a.test.model.

Dentro deste pacote vamos uma classe para utilizar no nosso exemplo. Crie  a classe Contato com o seguinte conteúdo:


Assim que concluirmos o mapeamento desta classe não esqueça de criar os métodos getters e setters de cada atributo.

5º Mapeando a classe Contato:




Bem, agora basta criar os métodos getters e setters dos atributos.

6º Agora vamos por o h4Android para funcionar, iremos fazer uma chamada simples para inserir um objeto do tipo Contato.

Abra a classe Testh4aActivity esta é a activity principal da aplicação (aliás a única!!), o código da sua classe deve se parecer com a imagem abaixo:



logo após a linha 11 em que é chamado o método setContentView, vamos começar os testes do framework.

Digite as seguinte linhas de código:



Bem a partir deste ponto podemos simplesmente criar um objeto do tipo Contato, setar algumas informações e usar o método insert do PersistenceManagerA22 pm.

Inclua em seguida o seguinte trecho de código:



Bem agora é só por a aplicação no seu emulador ou no seu dispositivo com Android e executar, caso use o Eclipse aproveite para acompanhar no LogCat pois o h4Android esta configurado para mostrar o seu log de mensagens.
Seguem algumas imagens da aplicação rodando:

Log informando as ações do h4android:



Perceba que o framework acaba de criar a seguinte estrutura

CREATE TABLE TBL_CONTATO_
       (_CELULAR VARCHAR(14),
        _EMAIL TEXT,
        _ID INTEGER PRIMARY KEY AUTOINCREMENT,
        _NOME VARCHAR(50) NOT NULL,
        _TELEFONE VARCHAR(14) NOT NULL,
        _VERSION INTEGER NOT NULL
       );

e logo em seguida inseriu o objeto do tipo contato. Você pode copiar esta base do emulador para o seu pc e acessar diretamente pelo console usando o cliente do próprio SQLite o sqlite3 e dar um “select * from TBL_CONTATO_;” para confirmar o objeto inserido.

Segue print com o sql executado:



Espero sinceramente que lhes seja útil. Acredito que o conhecimento só tem valor quando compartilhado. Peço a todos os interessados que tenham um pouco de paciência pois estou com uma série de novas funcionalidade a serem implementadas. Eu sei que existem inúmeros outras ferramentas na comunidade que se propõe a realizar a mesma tarefa, mas o que me impulsionou a iniciar este desafio foi a necessidade de algo que não fosse intrusivo demais no meu código, e isto tentei seguir ao máximo.

Uma boa noite a todos,
Fiquem com DEUS.

Carlos Timoshenko Rodrigues Lopes

ps.: Encontra-se disponível no site http://code.google.com/p/h4android/ um projeto exemplificando o que foi mostrado neste artigo.
 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?