Scrum e Kanban: Similaridades e diferenças

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (13)  (0)

Veja nesse artigo algumas similaridades e diferenças entre o framework para gerenciamento de projetos SCRUM e a ferramenta de gerenciamento ágil Kanban.

Fique por dentro
Scrum é um framework para gerenciamento de projetos de softwares e pode ser utilizado em várias áreas, não só no desenvolvimento de TI. Já o Kanban é uma ferramenta ágil de gerenciamento de mudanças e vem sendo cada vez mais utilizada hoje em dia. Equipes de várias áreas, não só de desenvolvimento de softwares, estão adotando o Kanban para aumentar a organização e produtividade nas suas atividades diárias.

Os métodos ágeis trouxeram uma grande mudança no mundo da computação. Quando falamos de desenvolvimento de softwares, temos dois métodos simples, porém surpreendentemente poderosos: Scrum e Kanban.

O Scrum é considerado o maior ícone dessa nova metodologia e vem quebrando diversos paradigmas das décadas passadas. O Kanban surgiu mais atualmente, em 2007, explicitando ainda mais essa quebra de paradigmas.

Nesse artigo veremos o que são o Scrum e o Kanban, as similaridades e diferenças entre eles visando um melhor entendimento dessas ferramentas.

Scrum

O nome Scrum vem de uma das jogadas mais conhecidas do Rugby. Geralmente essa jogada é usada após alguma falha ou penalização durante o jogo e oito jogadores de cada time formam uma muralha disputando a reposição da bola. É muito importante que seja realizado um trabalho em equipe, pois se um dos jogadores falhar toda a jogada é comprometida. Esse trabalho em equipe é bem caracterizado no framework do Scrum, é crucial que se tenha um olhar de time para entender o que é ser ágil e praticar no dia-a-dia.

O Scrum é fundamentado nas teorias empíricas de controle de processo, ou empirismo. Essa teoria afirma que os fatos são baseados somente em experiências vividas e presenciadas, nos conhecimentos adquiridos no dia-a-dia.

Para manter uma boa implementação de controle de processos empíricos é necessário o uso dos seguintes pilares de sustentação: transparência, inspeção e adaptação.

a) transparência: Garante que todos os fatores e aspectos que possam vir a afetar o resultado final de um determinado processo estejam visíveis e seja do conhecimento de todos os envolvidos, inclusive o cliente.

A transparência, provavelmente, é o pilar mais difícil de ser implementado, principalmente quando o Scrum passa a ser adotado por equipes que costumam ainda trabalhar de formas tradicionais de gestão de projetos.

Este pilar pode causar muito desconforto às equipes, pois elas estão acostumadas com a disseminação de informações e de tarefas. São as próprias equipes que definem o que mostrar, como mostrar, quando mostrar e para quem mostrar um determinado projeto.

Já nos projetos que fazem uso do Scrum, as informações são atualizadas em tempo real e permanecem visíveis para todos os envolvidos, de forma simples, através dos quadros de tarefas.

b) inspeção: Os fatores que podem afetar o resultado do proces" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?