Crie aplicações com o Visual Studio Lightswitch 2011 - Revista .net Magazine 98

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (0)  (0)

O artigo faz uma exposição das principais características do Visual Studio LightSwitch, uma edição do Visual Studio destinada a pequenos projetos, com ciclos de vida muito rápidos e de baixa complexidade.

De que se trata o artigo

O artigo faz uma exposição das principais características do Visual Studio LightSwitch, uma edição do Visual Studio destinada a pequenos projetos, com ciclos de vida muito rápidos e de baixa complexidade. É adequado para quem quiser ter uma visão geral da ferramenta. Além disso, será mostrado como este produto pode ser usado como uma extensão do Visual Studio para o desenvolvimento de aplicações RAD, onde pouco ou nenhum código é necessário.

Em que situação o tema é útil

Para desenvolvedores que querem uma alternativa mais leve ao Visual Studio e que exija menos complexidade na hora de realizar a criação de projetos mais simples. Também é indicado para fazer pequenos projetos (para desktop ou para a Web) que são compostos, basicamente, de telas de manipulação de dados.

Crie aplicações com o Visual Studio Lightswitch 2011

Um dos segmentos que estavam sendo deixados de lado na criação de software era o de ferramentas RAD (Rapid Application Development). Este tipo de software foi muito popular há alguns anos atrás, porque permitia com poucos passos desenvolver aplicações para manipulação de dados com pouco ou quase nenhum código.

O Visual Studio LightSwitch (daqui para frente vou me referir usando apenas como LightSwitch) é adequado para cenários onde é preciso agilidade na criação de softwares para manipulação de dados, onde não há grande complexidade nas regras de negócio e, o foco é no resultado final, sem ser necessário se importar com tarefas complexas demais.

Uma das principais vantagens é que sem fazer nenhuma codificação se tem um programa para a realização de tarefas mais comuns de inserção, atualização, exclusão e seleção de dados em bancos de dados.

Os projetos podem ser destinados para aplicações desktop como para a Web e também baseadas em cloud computing na plataforma Azure.

Sua integração com outras ferramentas como o Microsoft Office também representa um ponto interessante a ser considerado.

Em 2011 foi lançada uma versão do Visual Studio destinada a atender uma demanda especial do mercado – a do desenvolvimento de programas para departamentos ou divisões dentro de empresas cujo alvo não seja especificamente desenvolver softwares.

LightSwitch é o produto que realmente possibilita a criação de aplicativos para manipulação de dados sem nenhuma linha de código, mas, também é possível fazer estas customizações usando o C# ou VB.NET. Na maioria dos casos, principalmente se o objetivo for apenas acessar cadastros simples, não será necessário codificar nem mesmo o idioma da interface do programa, que por padrão, é toda escrita em inglês.

Neste artigo, vou demonstrar e revisar as principais características da ferramenta. Um dos pontos que chama a atenção é a quebra de paradigmas para o desenvolvimento. Só é necessário escrever códigos se for impossível se obter o comportamento adequado apenas utilizando os assistentes presentes no ambiente de desenvolvimento.

Como já foi feita uma exposição do LightSwitch em artigos anteriores, vou abordar sua integração com o Visual Studio e outras características, por exemplo, a maneira que os dados são tratados e também como realizar possíveis customizações.

Objetivo da ferramenta

O ponto mais importante que precisa ser destacado é que esta versão não substitui uma versão completa do Visual Studio, nem mesmo a Professional, que é a mais básica de todas, por um simples motivo: seu objetivo não é este, mas antes, possibilitar criar programas sem muitas tarefas de codificação e sem as complexidades envolvidas em um projeto do Visual Studio. Não há suporte para criação de Class Library nem de apoio para que sejam adotados design patterns como MVVM ou MVC.

Para quem estiver pensando em quais cenários a sua utilização seria mais indicada, considere a criação de programas para departamentos de uma empresa, cujo objetivo seja apenas rastrear e manter dados sobre poucas entidades, por exemplo, registro de dados de funcionários e seus dependentes ou um pequeno controle de frota de automóveis. Estes são os mais indicados, porque envolvem pouca complexidade na criação de regras de negócio e quase sempre, as operações podem ser reduzidas apenas a armazenamento e recuperação de dados.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?