DevMedia
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login

Introdução ao RFID

Neste artigo exploraremos o que é, pra que serve, e como pode ser usado um sistema de RFID.

[fechar]

Você não gostou da qualidade deste conteúdo?

(opcional) Você poderia comentar o que não lhe agradou?

Confirmo meu voto negativo
    A crescente demanda por produtos autômatos que permitem garantir segurança e integridade das informações quer sejam elas produtos logísticos ou até mesmo em pessoas o RFID está ou estará presente no nosso dia-a-dia, vermos mais informações ao decorrer deste artigo.

    

O que é RFID?

        É o acrônimo de Identificação por rádio freqüência. Em tese podemos através de mecanismos bem alinhados e produzidos com essa tecnologia, dispor de recursos de controle e identificação à distância.

    Cada etiqueta ou tag RFID é um transponder (abreviação de Transmitter-responder) dispositivo de comunicação eletrônico complementar e cujo objetivo é receber, amplificar e retransmitir um sinal em uma freqüência diferente ou transmitir de uma fonte uma mensagem pré-determinada em resposta à outra pré-definida de outra fonte),  pequeno objeto que pode ser colocado em uma pessoa, animal, equipamento, embalagem ou produtos.
    Certo é que o controle por rádio freqüência, já é visto que vários serviços e produtos, por exemplo: Aeromodelismo, Estacionamentos, Vias de estradas que usam o "sem parar"...
    O RFID, serve para basicamente identificar através de sinais de rádio, recuperando e armazenando dados remotamente, através de etiquetas de RFID. Veja a imagem abaixo:



fig.1

    Na imagem acima vemos uma etiqueta do tipo RFID a qual é normalmente usada para caixas de produtos, onde é colada e depois lida com  aparelho capaz de comunicar com o sistema RFID próprio.

    Hoje temos a capacidade de miniaturizar ainda mais essa etiqueta. Outra  idéia que tem se expandido por aí é de ser colocada em pessoas e animais. Mas no Brasil ainda não conheço nenhuma pessoa ou empresa que esteja usando em humanos. Em animais sim, é comum termos em sistemas pecuários, softwares capazes de "ler" a vida inteira de animais por sistemas de RFID, onde é colocado uma cápsula não-digestiva que fica dentro animal.

    

Onde podemos usá-la?

        Até o momento segundo as normas de radiofreqüência e engenharia, nos permitem usar em:

·    Cartões de crédito;
·    Animais;
·    Produtos(estoque);
·    Carros;
·    Pulseiras em humanos (mas se estuda ser colocado internamente);
·    Livros(bibliotecas);
·    Segurança;

Exemplos:




 fig.2

    Uma grande parte das empresas usam também na segurança de seus produtos como vi em algumas farmácias, supermercados que contém em suas portas, sistemas verificadores de RFID que soam um alarme caso alguém passar com seus produtos sem pagar por eles.



fig.3

    

Como funcionam?

        1)Os produtos devem conter tais etiquetas, coladas ou inseridas de alguma forma que possam ser lidas previamente e depois retiradas ao passar no caixa, pois o cliente não precisa levar sua etiqueta para sua casa. Cada etiqueta pode ser reutilizada posteriormente sempre que quiser. O caixa fica com a função de verificar, fazer o atendimento ao cliente, receber pelo produto e retirar tal etiqueta deixando o cliente levar pelo produto pago, normalmente e depois essa etiqueta será novamente usada em outro produto. No EUA, já existem lojas que não possuem funcionários, assim o próprio cliente pega o produto, verifica o preço e sua disposição de uso, passa pelo caixa (autômato) que recebe pelo produto e retira a etiqueta.

        2)Com a etiqueta inserida no produto, caso o cliente tente passar pelas portas do estabelecimento sem passar pelo caixa antes, a etiqueta ainda estará no produto, com isso nas portas do estabelecimento são instaladas leitoras RFID, que se passar pela sua distância e freqüência soam um alarma evitando assim possíveis furtos.

    As etiquetas RFID contém chips de silício e antenas que lhe permite responder aos sinais de rádio enviados por uma base transmissora. Além das etiquetas passivas, que respondem ao sinal enviado pela base transmissora, existem ainda as etiquetas semi-passivas e as ativas, dotadas de bateria, que lhes permite enviar o próprio sinal. São bem mais caras que do que as etiquetas passivas.

    Como RFID vimos utilizando transponders ( os quais podem ser apenas lidos ou lidos e escritos) nos produtos, são automaticamente  uma alternativa aos códigos de barras convencionais que conhecemos, de modo a permitir a identificação do produto de alguma distância do scanner ou independente, fora de posicionamento.

    

Freqüência utilizada

    Independente do modo (leitura-escrita ou só leitura) os RFID como todo eletrônico de rádio freqüência atua num determinado raio de ação.

    Média Alta (30 a 500 KHz): Para curta distância de leitura e baixos custos. Normalmente utilizado para controle de acesso, localização e identificação.

    Ultra Alta (850 a 950 MHz e 2,4 a 2,5 GHz): Para leitura em médias ou longas distâncias e leituras em alta velocidade. Normalmente utilizados para leitura de tags em veículos ou recolha automática de dados numa seqüência de objetos em movimento. Essa é muito usada em estradas como o "sem parar". Uma das empresas que detém esta tecnologia no Brasil é o Auto Expresso .



fig.4

(comparação de um dispositivo RFID à um grão de arroz) esse por sua vez para ser implantado em humanos.

Problemas encontrados

    *Em humanos pode haver algum tipo de rejeição, alergia, contaminação e outros problemas caso não seja feito com material adequado e por especialista. Cada caso é um caso e uma pessoa pode ter sérios problemas, vide as imagens:



fig.5

    *Em lojas e estabelecimentos, hackers ou profissionais do ramo podem facilmente ler as informações contidas em cartões e produtos, mudando preços, lendo dados confidenciais (se não criptografados é claro) e com isso produtos caros poderiam ser vendidos por preços alterados que o impostor/fraudador quisesse, levando sérios problemas financeiros e outros crimes seriam mais difíceis de solucionar-se.

    *Violação da integridade física, até onde um seqüestrador ou ladrão não usuário partes do corpo de uma pessoas para conseguir o que quer.

    *Cópia de dados importantes.

        

Segurança

    Como todo problema tem solução, aqui no nosso caso não é diferente. Como poderíamos nos proteger de casos como listados acima?

    1-Contratar somente pessoas especializadas para o seu tipo de negócio. Costumo falar que cada caso é um caso e não é de bobeira, uma determinada solução pra um determinado cliente não implica que será a solução ótima para todos os casos. Portanto verifique com um consultor de T.I, procure empresas idôneas e especializadas no assunto.

    2-Mantenha seus dados protegidos, modifique senhas periodicamente, criptografe seus dados de forma que seja difícil seu acesso e solicite o mesmo de todos os seus sistemas implantados na sua empresa.    3-Tenha o controle de sua faixa de freqüência, sabendo que é sua responsabilidade o seu sucesso ou fracasso do seu negócio.

    4-Uso de Dispositivos Metálicos  envolvendo com estojo feito de um material reflexivo ( estudo indicam o alumínio como principal candidato ), a etiqueta ficaria livre de interceptações quando não estivesse em uso.

Tais soluções não garantem segurança total no uso das etiquetas RFID. Porém já fazem com que esta tecnologia se torne mais confiável.

    Por enquanto ficamos por aqui pessoal, obrigado pela sua atenção e até a próxima.



Especialista em Gestão de Projetos e Desenv. de Sistemas, Linux Certified, ITILv3- Certified, desenvolvedor e arquiteto de sistemas Java, delphi e C#. Fundador da DATACON.

O que você achou deste post?
Conhece a assinatura MVP?
Publicidade
Serviços

Mais posts