DevMedia
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Este é um post disponível para assinantes MVP
###
Engenharia de Software 42 - Índice

Testes exploratórios: Teoria e Prática - Revista Engenharia de Software Magazine 42

A atividade de teste de software é um dos meios utilizados para garantir a qualidade do sistema, evitando assim surpresas desagradáveis em relação ao resultado final da aplicação. O teste parece ser uma coisa simples e empírica, mas na verdade não é. E as falhas, muitas vezes, acontecem por não darmos a devida importância a esse fato. Neste contexto, abordamos neste artigo a definição e utilização de testes exploratórios, mostrando suas vantagens e desvantagens.

[fechar]

Você não gostou da qualidade deste conteúdo?

(opcional) Você poderia comentar o que não lhe agradou?

Confirmo meu voto negativo

Teste de software é uma disciplina reconhecidamente importante da engenharia de software. Mesmo cientes da importância desta disciplina, alguns desenvolvedores acabam ignorando propositalmente as atividades de testes, ou relegando-as para o final do projeto. Isto pode acontecer simplesmente por estes desenvolvedores não compreenderem bem os procedimentos relacionados à disciplina de testes. Em organizações maduras as atividades de testes são realizadas com muito cuidado, pois a qualidade do produto final está diretamente associada a como os testes serão executados. O processo de testes deve ser a base para as atividades de garantia da qualidade do produto em uma organização, coordenando assim a forma como todas as atividades de testes serão executadas.

Existem várias definições para este conceito de teste de software. Segundo Patton (2005), por exemplo, teste de software é a ação de encontrar bugs, encontrá-los o mais rápido possível e garantir que os mesmos sejam corrigidos. Naturalmente, devemos entender que um bug é um defeito, falha ou algo que não está se comportando como esperado. Em outras palavras, testar é um processo que engloba todas as atividades do ciclo de vida voltadas para o planejamento, preparação e avaliação dos produtos de software e produtos de trabalhos relacionados, a fim de determinar se eles satisfazem os requisitos especificados.

A partir destes conceitos, é possível perceber a importância dos testes no ciclo de vida de um software.  É ele quem avalia se requisitos relacionados a escopo e qualidade do projeto foram satisfeitos e, consequentemente, se o produto está apto para ser utilizado. Dentre os tipos de testes mais conhecidos, destacam-se os testes de usabilidade, testes unitários e os testes de carga e de desempenho.

O objetivo deste artigo é aprofundar-se no uso dos testes exploratórios. Embora não definidos nos planos de testes, é importante deixar claro que os testes exploratórios também seguem um processo, e representam uma estratégia útil para encontrar rapidamente os defeitos quando se sabe pouco sobre o produto, existe pouca documentação ou esta está desatualizada. Seus riscos, desvantagens e deficiências também serão tratados ao longo deste artigo.

Serão apresentados os principais conceitos, técnicas e dificuldades encontradas nos testes exploratórios. Para isso, inicialmente teremos uma discussão sobre o estado da arte de testes exploratórios. Em seguida é apresentado um estudo comparativo entre testes exploratórios e testes ad-hoc. Dando prosseguimento à discussão, abordaremos a importância de testes exploratórios em metodologias ágeis e, por fim, algumas conclusões gerais são apresentadas.

"

A exibição deste artigo foi interrompida

Este post está disponível para assinantes MVP.



A DevMedia é um portal para analistas, desenvolvedores de sistemas, gerentes e DBAs com milhares de artigos, dicas, cursos e videoaulas gratuitos e exclusivos para assinantes.

O que você achou deste post?
Publicidade
Serviços

Mais posts