WPF Data Binding: Interagindo com o banco de dados

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (3)  (0)

Em geral, todas as aplicações reais precisam trabalhar com dados que, normalmente, vêm na forma de um banco. Esse artigo traz informações sobre como utilizar dados em aplicações WPF de forma segura e rápida.

Fique por dentro
Em geral, todas as aplicações reais precisam trabalhar com dados que, normalmente, vêm na forma de um banco. Esse artigo é útil porque traz informações sobre como utilizar dados em aplicações WPF de forma segura e rápida. O Data Binding do WPF é um recurso extremamente interessante e útil para o desenvolvedor, que consegue realizar a ligação de dados sem precisar criar um código muito extenso. Além disso, o uso de LINQ se dá pelo fato de ser uma tecnologia muito útil e fácil de utilizar para acesso a bancos de dados relacionais, e o padrão MVVM torna a separação entre a lógica de negócios, os dados e a interface de usuário muito clara, criando uma maior organização do código.

O WPF fornece ao desenvolvedor uma forma muito poderosa e de fácil utilização para criar interfaces de usuário. Porém, como tem se enxergado ao longo dos últimos anos, as aplicações precisam trabalhar com dados para serem consideradas completas. Uma aplicação comercial, por exemplo, não pode simplesmente se esquivar de utilizar dados, geralmente organizados em bancos de dados relacionais.

E, em tempo de execução, esses dados serão atualizados, provavelmente. A partir disso, como os controles irão saber que os dados que estão exibindo são os mais recentes?

Para essa questão, o WPF fornece uma tecnologia chamada de Data Binding, ou ligação de dados, em uma tradução literal. Com essa tecnologia, é possível realizar a ligação entre as propriedades de controles, uma fonte e um alvo, no caso. No cenário mais comum, isso será utilizado para realizar a conexão entre os controles que mostram dados com a fonte de dados que faz a população do mesmo. Então, quando a propriedade do objeto fonte (no caso, os dados) é alterada, a propriedade do outro objeto (no caso, o controle) é atualizada. Isso se dá de uma forma bem simplificada para o desenvolvedor, e quem cuida de todas as atividades que existem por trás dessa atualização é o WPF.

Outro ponto importante é que as aplicações necessitam de uma organização para serem mantidas. O padrão MVVM fornece ideias interessantes a esse respeito, trazendo um padrão de projetos que permite uma clara separação entre a interface de usuário e sua lógica de negócios. Isso é muito útil nesse caso, porque, obviamente, os dados devem ser buscados em algum lugar, fora dos arquivos XAML que compõem a interface básica do aplicativo.

E o MVVM fornece as ferramentas necessárias para que isso seja realizado de forma organizada e totalmente independente. Por exemplo, os Models serão as classes do LINQ que representarão o banco de dados, e os ViewModels serão responsáveis pela ligação entre os Models e as Views, criando todas as rotinas que envolvem o banco de dados.

WPF Data Binding

O Data Binding é uma parte fundamental da plataforma do WPF. Com os poderes dessa tecnologia, é possível criar uma conexão entre as propriedades de dois objetos, permitindo que, quando a propriedade do objeto fonte é alterada, a propriedade do objeto alvo é atualizada. Um excelente exemplo é a utilização de um controle Slider para modificar a propriedade de outro controle. A mudança é refletida em tempo de execução.

Com isso, Data Binding também é um conceito chave na criação de animações em WPF. É importante notar que, em WPF, é possível criar uma ligação entre objeto e fonte de dados através de forma procedural, através de código, ou de forma declarativa, via XAML.

Basicamente, o Data Binding no WPF possui quatro peças básicas:

· Target: o objeto que irá utilizar o resultado da ligação;

· Target Property: a propriedade do objeto alvo que irá utilizar o resultado;

· Source: o objeto que fornece o valor;

· Path: o caminho que localiza o valor dentro do objeto fonte.

Dessas quatro, as duas primeiras são as mais fáceis de serem entendidas. O Target é o controle que contém a ligação, ou seja, o controle que receberá o valor que o Source irá enviar. Já a Target Property é a propriedade desse objeto alvo que irá receber o valor da ligação. É importante notar que a Target Property de um Binding deve ser uma dependency property (BOX 1).

Como a maioria das propriedades cujo Data Binding traria alguma vantagem são dependency properties, isso acaba não sendo um grande problema. A fonte do objeto (Source) é o objeto do qual a ligação busca o valor. Esse objeto pode ser um controle, dados ou um objeto definido em code-behind. É interessante observar que existem três tipos de propriedades que podem ser definidas para a especificação da fonte, que são ElementName, Source e RelativeSource (BOX 2).

Só é possível especificar uma delas por vez, ou seja, o desenvolvedor precisa escolher uma, dependendo da aplicação em questão. Por fim, mas não menos importante, vem o caminho da ligação de dados (Path). Na maior parte dos casos, ele é definido pelo nome da propriedade fonte que o desenvolvedor deseja utilizar. No caso da utilização de dados de um banco relacional, ele irá representar o campo a ser mostrado.

BOX 1. Dependency Properties

O propósito de dependency properties é fornecer um meio de basear o valor de uma propriedade no valor de outras entradas. Essas outras entradas incluem propriedades de sistema, mecanismos de determinação de propriedades em tempo de execução, templates, estilos, etc. Além disso, elas podem ser implementadas para fornecer a validação dos dados que são passados a ela, valores padrão, monitoramento de mudanças em outras propriedades, entre outros. Em resumo, dependency properties são propriedades que podem ser definidas através de métodos como estilização, data binding, animação e herança.


BOX 2. Binding Source

Como foi dito anteriormente, a fonte da ligação de dados pode ser definida de três formas: através de ElementName, Source ou RelativeSource. Dessas três, a primeira é a mais simples. A propriedade ElementName simplesmente recebe o nome de um controle, o controle fonte, no caso. Já a propriedade Source é um pouco mais complexa, e geralmente é definida através de um recurso estático (StaticResource). Ela identifica um objeto que deve ser utilizado como a fonte da ligação de dados, ou seja, é utilizada, geralmente, para realizar a ligação com dados oriundos de uma classe.

Por fim, o RelativeSource permite que o objeto fonte seja especificado pela sua relação com o controle alvo. Normalmente é utilizado quando se desejam duas propriedades no mesmo controle.

Além desses três, existe um meio adicional de definir a fonte de ligação em um Data Binding: definindo a propriedade DataContext do controle. Uma vez que controles herdam essa propriedade de seus ancestrais, esse método permite que vários controles dividam a mesma fonte de dados.

Em WPF, alguns controles, como botões e caixas de texto, são considerados controles de conteúdo, ou content controls. Eles foram criados para mostrar apenas um dado, geralmente um texto. Outros controles, como listBoxes e comboBoxes, foram criados para mostrar uma sequência de valores de um mesmo tipo, e como tal, são considerados controles de itens, ou item controls. Como é possível perceber facilmente, realizar a ligação de dados a controles de conteúdo é muito simples e direto. Basta setar os quatro elementos básic" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?