Guia Delphi

Introdução à Biblioteca FireDAC - Revista ClubeDelphi Magazine 151

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (7)  (0)

Neste artigo veremos o AnyDac, cujo enfoque se dará em seu lado mais prático no desenvolvimento de aplicações Delphi. Este artigo tem a intenção de ser o ponto de partida para sua efetiva utilização.

Artigo do tipo Teórico
Recursos especiais neste artigo:
Contém nota Quickupdate, Conteúdo sobre novidades.
Introdução à Biblioteca FireDAC
Neste ano de 2013, dentre as recentes novidades anunciadas pela Embarcadero ao mundo Delphi, talvez a principal delas tenha sido a aquisição do AnyDAC, uma biblioteca de componentes de acesso a dados até então de propriedade da empresa DA-Soft Technologies. Conforme foi anunciado, o produto citado traz consigo uma nova gama de componentes para acesso aos dados de uma variedade de fontes, incluindo SGBDs (Ex: InterBase, Firebird, Oracle, MySQL etc.), servidores de aplicação DataSnap, além de drivers ODBC e dbExpress. Ao ser incorporado ao Delphi, o AnyDAC foi rebatizado para FireDAC. Este então é o tema do presente artigo, cujo enfoque se dará em seu lado mais prático no desenvolvimento de aplicações Delphi. Vale ressaltar que, apesar da mudança de nome, o “core” do produto permaneceu intacto neste momento, fazendo com que a curva de aprendizado para quem já o utilizava fosse zero. Para os que ainda não o conhecem, este artigo tem a intenção de ser o ponto de partida para sua efetiva utilização.


Em que situação o tema é útil
O acesso a dados é parte importante na construção de aplicações Delphi. Prova disso é que a ferramenta provê de forma nativa, uma série de opções para sua elaboração. Cada opção desta é refletida em uma biblioteca de componentes, ficando devidamente alocada na Tool Palette do IDE. Até o XE2, eram basicamente quatro as alternativas - BDE, dbExpress, InterBase Express e dbGo – no entanto, agora no XE3, este leque de opções ganha mais um elemento, o FireDAC que, de forma sucinta, pode ser definido como sendo uma biblioteca de acesso a dados universal.

O FireDAC pode ser considerado a edição da Embarcadero para a biblioteca de componentes de acesso a dados AnyDAC. Ele surge como uma forte opção no que se refere ao desenvolvimento de aplicação de banco de dados com Delphi, apresentando como pontos fortes sua facilidade de uso, alta performance e com recursos suficientes para atender as características gerais e particulares de cada SGBD suportado (Nota do DevMan 1).

Nota do DevMan 1

Atualmente, o FireDAC suporta os seguintes SGBDs:

- Advantage Database;

- IBM DB2;

- InterBase;

- Firebird;

- Microsoft Access;

- Microsoft SQL Server;

- MySQL;

- Oracle;

- PostgreSQL;

- SQLite;

- Sybase SQL Anywhere.

Atualmente o FireDAC é disponibilizado como um pacote singular que se integra ao Delphi. Para os usuários proprietários das edições Enterprise, Ultimate e Architect do XE3 (Nota do DevMan 2), ele é distribuído de forma gratuita, enquanto que para edições de menor calibre há um custo adicional. Fato é que nas futuras versões do Delphi o FireDAC já deverá acompanhar sua instalação, se tornando efetivamente parte integrante do IDE. Até lá, nada melhor do que já tirar proveito de sua atual disponibilidade, conhecendo todas as nuances que envolvem a utilização de suas classes, componentes e utilitários.

Nota do DevMan 2

Em sua atual versão (XE3), o Delphi, como produto, possui cinco edições:

- Starter Edition: edição de entrada, direcionada a estudos e construção de pequenos projetos. Por esta razão, não provê acesso a banco de dados e se restringe ao desenvolvimento para Win32;

- Professional Edition: complementa a edição Starter com recursos para acesso local de dados e compilação para Win32, Win64 e Mac OS X;

- Enterprise Edition: inclui todos os recursos da edição Professional, mais a parte de conectividade Client/Server e desenvolvimento de aplicações multicamadas (DataSnap);

- Ultimate Edition: inclui tudo da edição Enterprise, com o adicional do DB Power Studio, que provê ferramentas voltadas às tratativas de banco de dados, tais como Rapid SQL, DB Optimizer e DB Change Manager;

- Architect Edition: também inclui tudo da edição Enterprise, com o adicional do ER/Studio, uma ferramenta para modelagem e design de bancos de dados.

Conectando-se a um banco de dados Firebird

O Firebird é sem sombra de dúvidas um dos SGBDs mais utilizados em aplicações de banco de dados Delphi. Seu baixo custo de manutenção, simplicidade de uso, boa performance e, fundamentalmente, seu caráter gratuito, são algumas das principais características que o credenciam a tal posto. Ainda no Delphi 2010, em meio a suas novidades de lançamento, estava o novo driver dbExpress exclusivo para Firebird, que veio a atender um antigo e aclamado desejo da comunidade, que carecia de uma opção nativa ideal. Isto porque, até então, o desenvolvedor tinha basicamente duas alternativas para usar Firebird com dbExpress: recorrer a drivers de terceiro ou improvisar o driver para InterBase do dbExpress (o que causava certos transtornos em determinadas situações). Passado este momento, com a estabilização do driver citado, o Delphi ganha agora com o FireDAC, mais uma opção nativa para acesso a bancos de dados Firebird. Apesar de parecer algo natural e trivial num primeiro momento, o acesso a SGBD utilizando o componente de conexão (TADConnection) do FireDAC requer alguns tratamentos adicionais que, uma vez não realizados, podem causar certos transtornos ao desenvolvedor.

"

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?