De que se trata o artigo:

Este artigo apresenta um passo a passo para criar uma aplicação completa de leitor de RSS. Faltará apenas um trabalho mais criterioso em relação à interface de usuário. Ao completar a leitura do texto, o leitor estará apto a recuperar dados externos à aplicação Android através de conexões HTTP, além disso, saberá como trabalhar com dados XML na plataforma.

Em que situação o tema é útil:

Este artigo pode ser utilizado por usuários iniciantes e que desejam aprender as APIs de conectividade com HTTP na plataforma Android, como também por usuários experientes que desejam aprimorar seus aplicativos nesta plataforma.

Resumo DevMan:

Veremos neste artigo que a API e a estrutura da plataforma Android tornam o processo de leitura de informações via HTTP extremamente simples. Além disso, o parser de um documento XML, ou, mais especificamente, de um RSS, também é um processo que não exige um grande esforço dos desenvolvedores.

Autores: Ricardo Ogliari e Robison Cris Brito

A grande maioria dos aplicativos disponíveis no mercado (senão todos) buscam informações externas através de uma conexão, geralmente HTTP. Estas informações captadas podem ser os recordes de um jogo, podem ser a resolução de um problema direcionado a um web service, podem ser informações de geolocalização disparadas através do par latitude-longitude, pode ser uma conexão POST que configura dados de extrema importância para uma complexa operação financeira, dentre outras centenas de exemplos.

A troca de informações através do protocolo HTTP também é de suma importância por outro motivo: as redes sociais estão liderando o número de downloads efetuados por usuários de smartphones, sendo assim, nossos aplicativos devem, quase que de forma obrigatória, interagir com as principais redes (twitter, facebook, blogs, etc). E esta interação se dará através de uma conexão externa geralmente feita por HTTP (ler Nota DevMan 1).

Nota DevMan 1. HTTP

O HyperText Transfer Protocol é um protocolo de aplicação responsável pelo tratamento de pedidos e respostas entre cliente e servidor na World Wide Web. Ele surgiu da necessidade de distribuir informações pela Internet e para que essa distribuição fosse possível foi necessário criar uma forma padronizada de comunicação entre os clientes e os servidores da Web e entendida por todos os computadores ligados à Internet. Com isso, o protocolo HTTP passou a ser utilizado para a comunicação entre computadores na Internet e a especificar como seriam realizadas as transações entre clientes e servidores através do uso de regras básicas.

Este protocolo tem sido usado pela WWW desde 1990. A primeira versão de HTTP, chamada HTTP/0.9, era um protocolo simples para a transferência de dados no formato de texto ASCII pela Internet, através de um único método de requisição, chamado GET. A versão HTTP/1.0 foi desenvolvida entre 1992 e 1996 para suprir a necessidade de transferir não apenas texto. Com essa versão, o protocolo passou a transferir mensagens do tipo MIME44 (Multipurpose Internet Mail Extension) e foram implementados novos métodos de requisição, chamados POST e HEAD.

No HTTP/1.1, versão atual do protocolo descrito na RFC 2616, foi desenvolvido um conjunto de implementações adicionais ao HTTP/1.0, como por exemplo: o uso de conexões persistentes; o uso de servidores proxy que permitem uma melhor organização da cache; novos métodos de requisições; entre outros. Afirma-se que o HTTP também é usado como um protocolo genérico para comunicação entre os agentes de utilizadores e proxies/gateways com outros protocolos, como o SMTP, NNTP, FTP, Gopher, e WAIS, permitindo o acesso a recursos disponíveis em aplicações diversas.

Além das redes sociais, os serviços web também já estão presentes e consolidados no mundo da tecnologia da informação. É muito comum aplicativos mobile consumirem informações preciosas deste tipo de serviço. E para que estes serviços web forneçam dados de uma forma padronizada, foi utilizado o XML (eXtense Markup Language). Sendo assim, também é extremamente comum o desenvolvedor criar parsers para tratar um XML recebido e transformá-lo em elemento da interface gráfica de seu aplicativo (ler Nota DevMan 2).

Nota DevMan 2. XML

O XML serve para descrever um conjunto de dados, ou seja, é apenas uma linguagem de marcação. Sua principal finalidade é facilitar o compartilhamento de informações na internet pela padronização. Existem diversas linguagem baseadas no XML que dão origem a plataformas muito conhecidas no mercado. Dentre outras, podemos citar o NCL, utilizado no Ginga e, podemos citar também os arquivos de configurações presentes na maioria das plataformas, inclusive no Android (AndroidManifest).

Para completar a lista de tecnologias importantes que vamos conhecer neste artigo, temos também os blogs e o RSS. Os blogs são uma forma de disseminação da informação muito utilizada no mundo. Seus conteúdos são utilizados para diferentes meios. Apesar de ter perdido um pouco da importância devido ao sucesso das redes sociais, os blogs ainda possuem um papel importante na sociedade.

...
Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo