Por que eu devo ler este artigo:

Funções são um recurso poderoso das linguagens de programação. Ao desenvolver uma aplicação utilizamos elas a todo momento, quer sejam as que nós mesmos escrevemos para as rotinas especificas ou aquelas já disponibilizadas pela linguagem de programação escolhida, suas bibliotecas e frameworks.

Na programação, funções são blocos de código que realizam determinadas tarefas que normalmente precisam ser executadas diversas vezes dentro de uma aplicação. Quando surge essa necessidade, para que várias instruções não precisem ser repetidas, elas são agrupadas em uma função, à qual é dado um nome e que poderá ser chamada/executada em diferentes partes do programa.

Nesse artigo, veremos como trabalhar com funções na linguagem Python, compreendendo sua definição e uso na prática.

Criando funções no Python

A sintaxe de uma função é definida por três partes: nome, parâmetros e corpo, o qual agrupa uma sequência de linhas que representa algum comportamento. No código abaixo, temos um exemplo de declaração de função em Python:


def hello(meu_nome):
  print('Olá',meu_nome)

Essa função, de nome hello, tem como objetivo imprimir o nome que lhe é passado por parâmetro (também chamado de argumento). A palavra reservada def, na primeira linha, explicita a definição da função naquele ponto. Em seguida, entre parênteses, temos o parâmetro meu_nome. Ainda na mesma linha, observe a utilização dos dois pontos (:), que indicam que o código identado nas linhas abaixo faz parte da função que está sendo criada. Aqui, é importante ressaltar que, para respeitar a sintaxe da linguagem, a linha 2 está avançada em relação à linha 1.

Para executar a função, de forma semelhante ao que ocorre em outras linguagens, devemos simplesmente chamar seu nome e passar os parâmetros esperados entre parênteses, conforme o código a seguir.


>>> hello('Fabio')
Olá Fabio
>>> var_nome
'Fabio'

Caso seja necessário, também é possível definir funções com nenhum ou vários argumentos, como no código abaixo:


def hello(meu_nome,idade):
   print('Olá',meu_nome,'\nSua idade é:',idade)

Agora, ao invocar essa função, também é necessário informar o segundo parâmetro, que representa a idade que será impressa após o nome:


>>> hello('Fabio',28)
Olá Fabio 
Sua idade é: 28

Assim como podem receber valores de entrada, as funções também podem produzir valores de saída, provenientes de determinadas operações. Nos exemplos anteriores, apenas imprimimos um valor com a função print, sem retornar explicitamente um resultado. Já na Listagem 1, temos uma função que faz o cálculo do salário e retorna o valor a ser pago conforme o número de horas trabalhadas.


def calcular_pagamento(qtd_horas, valor_hora):
  horas = float(qtd_horas)
  taxa = float(valor_hora)
  if horas <= 40:
    salario=horas*taxa
  else:
    h_excd = horas - 40
    salario = 40*taxa+(h_excd*(1.5*taxa))
  return salario
Listagem 1. Calculando horas extras.

Na linha 1, a função calcular_pagamento() recebe dois parâmetros, qtd_horas e valor_hora, que representam, respectivamente, a quantidade de horas a serem calculadas e o valor da hora. Nas linhas 2 e 3, esses valores são convertidos para o tipo float, pois eles serão recebidos como string por meio da instrução input.

Na quarta linha, verificamos se a quantidade de horas trabalhadas é menor ou igual a 40. Caso seja verdadeiro, na linha 5 calculamos o valor do salário apenas multiplicando a quantidade de horas pelo valor de cada hora trabalhada. Se a quantidade for maior que 40 (linha 6), adicionamos ao salário um valor adicional pelas horas extras. Por fim, na linha 9 retornamos o resultado do cálculo (contido na variável salario) com a instrução return.

No código abaixo, vemos como utilizar essa função, obtendo seu retorno e o imprimindo na tela posteriormente:


str_horas= input('Digite as horas: ')
str_taxa=input('Digite a taxa: ')
total_salario = calcular_pagamento(str_horas,str_taxa)
print('O valor de seus rendimentos é R$',total_salario)

Primeiramente, solicitamos do usuário as informações necessárias, que serão armazenadas como string e repassadas para a função (linhas 1 e 2). Em seguida, na linha 3, obtemos o resultado da função e o atribuímos à variável total_salario, que é impressa na linha 4.

A Listagem 2 mostra a execução desse código em duas situações.


Digite as horas: 40
Digite a taxa: 20
O valor de seus rendimentos é:  800.0
>>>
Digite as horas: 50
Digite a taxa: 20
1100.0
Listagem 2. Testando o código.

Nesse caso, definimos explicitamente que a função deve retornar um determinado resultado por meio da instrução return. Caso isso não seja feito, o valor padrão retornado será None, equivalente ao null, void ou nil encontrado em outras linguagens.

Parâmetros nomeados

As funções em Python tem suporte a parâmetros nomeados. O exemplo a seguir mostra um caso onde podemos usar nomes nos parâmetros da função.


def calculo_imc(peso, altura):
    print(peso / altura ** 2)

calculo_imc(75, 1.68)
Listagem 3. Função com parâmetros

Observe que quando chamamos a função calculo_imc, não há uma identificação do que cada valor representa dentro daquela função. Nesse mesmo exemplo usando essa funcionalidade, conseguimos ver melhor como podemos dar nome aos parâmetros.


def calculo_imc(peso, altura):
    print(peso / altura ** 2)

calculo_imc(peso = 75, altura = 1.68)
Listagem 4. Função com parâmetros nomeados

Mesmo que venhamos a trocar a ordem dos argumentos na chamada da função, ela será executada corretamente da mesma forma, pois os parâmetros estão sendo identificados por um nome e não pela sua posição.

Funções builtin no Python

A biblioteca do Python contém vários componentes embutidos, que podem ser utilizados em qualquer parte do código sem a necessidade de um import. Um exemplo disso é a função max(), que retorna o maior elemento de uma lista que lhe é passada por parâmetro. No código abaixo, temos dois exemplos de uso:


maior_numero = max(1, 2, 3)
maior_letra = max('a', 'b', 'c')
print(maior_numero)
print(maior_letra)

No primeiro exemplo, a variável maior_numero receberá o valor 3, por ele ser o maior elemento passado por parâmetro. Já no segundo, a variável maior_letra receberá a letra “c”, pois seu valor na tabela ASCII é superior ao das letras “a” e “b”.

Outros exemplos de funções builtin são: input(), que recebe o valor que é digitado pelo usuário; e float()e int(), utilizadas quando se faz necessário converter valores para float e int, respectivamente.

Para outras funções disponíveis em módulos, como é o caso daquelas presentes no módulo de matemática, é necessário que seja realizada a importação desse módulo, através do comando import, antes de utilizá-las. A seguir temos um exemplo disso:


import math
exponencial = math.exp(3)
print(exponencial)

Nesse caso, a função exp(), do módulo math, só poderá ser utilizada após a importação dele, na linha 1.