Do que se trata o artigo:

Content Delivery Network é um grande sistema distribuído de servidores instalados em múltiplos datacenters ao redor do mundo. O objetivo principal das CDNs é prover distribuição de conteúdo online com alta performance, disponibilidade e segurança aos usuários finais.


Em que situação o tema é útil:

As Content Delivery Networks têm utilidade em diversas áreas: websites em geral (e-commerce, site de notícias etc.), aceleração de aplicações corporativas na internet (Internet Banking, sites B2B, Setor Público etc.), segurança de aplicações web e entrega de vídeo e downloads pela internet.

Resumo DevMan:

Neste artigo serão apresentadas as principais características das CDNs – Content Delivery Networks. Será explicado como elas funcionam, assim como as vantagens técnicas e de negócios no uso desse tipo de rede. Também será apresentada uma comparação das CDNs tradicionais com Cloud Computing. Por fim, será analisado um estudo de caso da rede da Akamai e como ela funciona.

Content Delivery Networks (CDNs) estão em uso no mundo há mais de 15 anos e hoje aceleram aplicações para quase todos os usuários da internet, na maioria dos casos, sem que eles saibam. O resultado de tudo isso é que mais de 30% do tráfego da Internet passa pelas CDNs.

Entre 1995 e 1998, o conceito e algoritmo das CDNs foram criados em um projeto acadêmico no Massachusetts Institute of Technology (MIT). Desde então, a internet multiplicou sua importância e hoje ele está presente em todos os aspectos de nossas vidas. Com a demanda dos usuários por desempenho cada vez maior, a CDN tornou-se uma necessidade para grandes empresas na internet.

No Brasil, as CDNs ainda são relativamente desconhecidas do público, mas são largamente utilizadas em alguns ramos como e-commerce, mídia e entretenimento, portais de notícias e grandes empresas em geral, que querem proporcionar uma experiência superior aos clientes e usuários de seus websites. É sobre este assunto que abordaremos neste artigo.

Mas o que é Content Delivery Network?

Antes de respondermos a essa pergunta, vamos entender um pouco mais sobre o problema de performance da internet.

A internet é uma rede de redes, e para ter acesso a ela, o usuário paga para um provedor de internet, que tem a sua própria rede. O provedor, por sua vez, precisa se conectar com as outras redes da internet, o que é feito através de contratos comerciais, os chamados contratos de peering. Esses contratos, e os termos monetários definidos neles, é o que determinam como o tráfego dos usuários da rede será roteado.

Portanto, além de o usuário poder estar topológica e fisicamente longe do servidor que ele pretende acessar, sua performance será impactada devido ao fato de que os roteadores estão programados para economizar dinheiro para as operadoras no caminho e não necessariamente para melhorar a performance da comunicação.

Figura 1. Distância e peering não otimizados geram performance insatisfatória.

Esse problema é ainda mais intensificado no Brasil e na América Latina, onde as grandes operadoras fazem contratos de peering muito limitados, e uma grande parte da troca de conteúdo entre elas acontece em redes de interconexão nos Estados Unidos, já que o custo para as operadoras se conectarem a essas redes é baixo e elas evitam trocar dados diretamente devido à concorrência. A ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo