Por que eu devo ler este artigo:A função map() é uma das mais utilizadas em JavaScript, tanto quanto for ou while, dada a imersão dessa linguagem no paradigma da programação funcional. Aprenda nessa documentação como utilizar essa função em seus códigos.

Nesta documentação de JavaScript conheceremos o método map(), do objeto Array, que nos permite percorrer um vetor e obter um novo array cujos itens são o resultado de uma função de callback que recebe como parâmetro cada item original. Por exemplo, podemos partir de um array de valores numéricos e obter um novo contendo o quadrado de cada item original.

A seguir podemos ver como funciona o método map().

JavaScript Map na prática

  var numeros = [1, 2, 3, 4, 5]; //vetor original
   
  var quadrados = numeros.map(function(item){
     return Math.pow(item, 2); //retorna o item original elevado ao quadrado
  });
   
  document.write(quadrados); //imprime 1,4,9,16,25

Como funciona o map()?

O método map() é invocado a partir de um array e recebe como parâmetro uma função de callback, que é invocada para cada item e retorna o valor do item equivalente no array resultante. No exemplo acima, por exemplo, essa função de callback retorna o número original elevado ao quadrado. Na Figura 1 temos uma ilustração desse processo.

Funcionamento do método map()
Figura 1. Funcionamento do método map()

Aqui é importante destacar que o método map() não modifica o array original, ele retorna um novo array com os itens resultantes do mapeamento.

Sintaxe

  arrayOriginal.map(callback)

Parâmetros

callback é uma função que será executada para cada elemento no vetor original e retornará uma representação dele com base em alguma lógica, que será o item equivalente no vetor resultante. Sua estrutura é a seguinte:

  function(valorAtual, indice, array)
  • O parâmetro valorAtual é obrigatório e representa o próprio item da iteração atual. Ou seja, à medida que a função map itera sobre o array, esse parâmetro receberá cada item.
  • O parâmetro indice é opcional e representa o índice do item da iteração atual.
  • O parâmetro aray também é opcional e representa o próprio array ao qual os itens pertencem.

Valor de retorno

É retornado um novo array cujos itens são uma representação dos elementos do array original.

Exemplos de uso do método map()

Exemplo 1

No exemplo a seguir mapeamos um array de objetos e retornamos apenas uma propriedade de cada item:

  var vencedores = [
     {
         nome : "Equipe Super",
         pais : "Brasil"
     },
     {
         nome : "Time Maximo",
         pais : "EUA"
     },
     {
         nome : "Mega Grupo",
         pais : "Canadá"
     }
  ];
   
  var podioPorPais = vencedores.map(function(item, indice){
     return item.pais;
  });
   
  document.write(podioPorPais);

O resultado é: Brasil,EUA,Canadá.

Execute o código

Exemplo 2

Neste segundo exemplo partiremos do mesmo array visto no exemplo anterior, mas exibiremos os dados das equipes vencedoras em uma tabela. Para isso haverá um elemento table na página com a seguinte estrutura:

  <table id="tbPodio">
     <thead>
         <tr>
             <th>Posição</th>
             <th>Nome</th>
             <th>País</th>
         </tr>
     </thead>
     <tbody>
   
     </tbody>
  </table>

Em seguida podemos percorrer o array de vencedores e obter, para cada item, sua representação já na forma de uma linha da tabela:

  var vencedores = [
     {
         nome : "Equipe Super",
         pais : "Brasil"
     },
     {
         nome : "Time Maximo",
         pais : "EUA"
     },
     {
         nome : "Mega Grupo",
         pais : "Canadá"
     }
  ];
   
  var podioPorPais = vencedores.map(function(item, indice){
     return `<tr>
                 <td>${indice + 1}</td>
                 <td>${item.nome}</td>
                 <td>${item.pais}</td>
             </tr>`;
  });
   
  document.querySelector("#tbPodio tbody").innerHTML = podioPorPais.join("");

O resultado aqui é a tabela preenchida, como mostra a Figura 2.

Tabela preenchida com os
itens
Figura 2. Tabela preenchida com os itens
Execute o código

Exemplo 3

Neste próximo exemplo temos um array de produtos com seus respectivos preços de venda e desejamos simular a aplicação de um reajuste em todos os preços, mas sem modificar a informação original.

  var produtos = [
     {
         nome : "Smartphone 5' Android",
         preco : 1200
     },
     {
         nome : "Notebook 4GB Windows 10",
         preco : 2100
     },
     {
         nome : "SmartTV 50' LED",
         preco : 8700
     }
  ];
   
  var produtosComReajuste = produtos.map(function(item){
     return {
                 nome : item.nome,
                 preco : item.preco * 1.15
             }
  });
   
  produtosComReajuste.forEach(function(item){
     console.log(`${item.nome.padEnd(30)} - ${item.preco.toLocaleString("pt-BR",
      { style : "currency", currency : "BRL"})}`);
  });

O resultado neste caso é a impressão dos valores no console do browser, como mostra a Figura 3.

Valores impressos no
console
Figura 3. Valores impressos no console
Execute o código

Exemplo 4

Neste quarto exemplo veremos como usar o recurso de arrow functions, do ECMAScript 6, para definir a função de callback com uma sintaxe mais simples:

  var quadrados = [25, 16, 9, 4, 1];
   
  var raizes = quadrados.map(numero => Math.sqrt(numero));
   
  document.write(raizes);

O resultado aqui é: 5,4,3,2,1

Execute o código

Exemplo 5

Este exemplo usa novamente uma arrow function como função de callback, mas dessa vez ela recebe também o índice do item:

var copas = [1958, 1962, 1970, 1994, 2002];

var titulos = copas.map((ano,indice) => `${indice + 1} : ${ano}`);

document.write(titulos.join("<br>"));

O resultado agora é a impressão do número do título (índice + 1, pois o índice começa em zero) e o ano em que o título foi obtido.

Execute o código

Map x Foreach

Os arrays em JavaScript possuem um outro método, chamado forEach, que às vezes confunde os desenvolvedores iniciantes quanto às diferenças entre ele e o map. Ambos percorrem o vetor original e para cada item podem executar um determinado procedimento, porém as semelhanças são apenas essas. O método forEach tem o objetivo apenas de iterar sobre um array, enquanto o map usa essa iteração como meio para chegar ao seu objetivo final, que é obter um novo array resultante do mapeamento do original.

Enquanto o map tem como retorno um novo array, o forEach não retorna nada. Ou seja, ele serve apenas para percorrer o vetor original e nos permite executar algum procedimento com cada item.

Então, quando usar cada um? Caso você queira obter um novo array cujos itens podem ser gerados a partir da aplicação dos itens originais em uma determinada função, então use o map. Se você precisa apenas percorrer um array e executar um determinado bloco de código para cada item, então use o forEach.

Map e a programação funcional

Desde seu lançamento, a linguagem JavaScript recebeu grandes atualizações e passou a contar com recursos muito desejados pelos programadores, alguns dos quais têm origem (ou principal uso) no paradigma funcional de programação. Exemplos disso foram a inclusão de métodos que promovem a imutabilidade e o uso de funções de alta ordem, dois conceitos fundamentais na programação funcional.

O map é um desses métodos: ele não altera o array original (imutabilidade) e recebe como parâmetro uma função (logo, ele é uma função de alta ordem).

Compatibilidade entre navegadores

O método map() é suportado por todos os browsers indicados na Tabela 1.

map() Chrome Firefox IE Edge Safari Opera
Sim Sim Sim Sim Sim Sim
Tabela 1. Browsers que suportam map()

Confira também