“Você pode monitorar portas do servidor para ver os dados enviados e recebidos durante o uso do mesmo. Utilizar a página ‘Propriedades’ de um servidor, você pode selecionar a partir de uma lista dos tipos disponíveis de portas do servidor para monitorar. Exemplos de tipos de portas do servidor que você pode monitorar são Hypertext Transfer Protocol (HTTP), a porta administrativo do servidor proxy, e muitos outras portas vendor-specific.”

Essa á a introdução sobre o assunto no site do Eclipse. Sim, você pode monitorar portas de um servidor web, que deve estar rodando, obviamente, uma aplicação web.

­

No nosso caso, estaremos lidando um servidor (container) JEE, o Tomcat. Ele é bem interessante para lidar com esse tipo de situação justamente pela simplicidade e praticidade, além de ser mais leve que os outros. Por sua vez, estaremos usando aqui a IDE Eclipse em sua versão Indigo .

Basicamente, o que podemos fazer é monitorar o tráfego de arquivos e informações, algo parecido com o que alguns programas de rede fazem, mas neste caso com foco em recursos web, como htmls, css, javascript, etc. Além disso, esse camarada é muito usado para analisar comunicações de web services, via SOAP, por exemplo.

Sigamos os passos abaixo:

1. Primeiro, precisamos abrir a janela responsável por exibir todo esse fluxo, para isso use o atalho: Ctrl + 3 -> TCP/IP Monitor -> Enter.

A tela da Figura 1 será exibida:

Tela de monitoramento

Figura 1: Tela de monitoramento

2. Seleciona a opção “Properties” > “Add...“, a janela da figura 2 irá aparecer. Configure as opções tal como está listado.

Perceba que aqui estamos configurando nosso monitor. “Local monitoring port” define a porta que usaremos para monitorar. E “Port” define qual a porta do servidor que será monitorada.

Atente para o uso de portas por outros servidores que possam vir a existir no teu eclipse.

Criando o monitor

Figura 2: Criando o monitor

3. Depois disso clique em Start e logo após em Ok. Crie uma aplicação Java web de teste e add a mesma no tomcat. Após isso, chame a mesma no browser. Note que quando chamar a app usando a porta 8080 na URL (), o monitor não sofrerá alteração. Isso porque para debugar você tem de chamar a mesma pela porta 8081. A figura 3 representa o que acontece quando se starta o monitor.

Monitor funcionando

Figura 3: Monitor funcionando

Alem disso, quando clicar num arquivo qualquer da hierarquia, note que o mesmo é exibido abaixo.

O comportamento do monitor é bem semelhante ao do Firebug .

No mais, é isso!