Por que eu devo ler este artigo:Os modelos de maturidade como MPS-SW e CMMI-DEV apresentam práticas de Engenharia de Software relacionadas com a inovação de processos no desenvolvimento de software, buscando orientar as organizações a identificar e implantar inovações de forma controlada. A identificação e a implantação de inovações de processo se encontram nos níveis mais altos desses modelos porque nestes níveis os processos considerados críticos pelas organizações para o alcance dos seus objetivos de negócio se encontram sob controle estatístico e seus desempenhos são conhecidos e controlados. Desta forma, os impactos das inovações no desempenho dos processos podem ser identificados, analisados e compreendidos. Neste cenário, este artigo apresenta um processo para apoiar as organizações na introdução de inovações que representem melhorias em seus processos, como novas técnicas, métodos e ferramentas; e um portal para apoiar a identificação de inovações realizadas pela academia e indústria, além de fomentar a aproximação entre a academia e a indústria.

A inovação aborda a criação e o desenvolvimento de novas ideias e soluções, transformando oportunidades em utilização prática. O Manual de Oslo, referência no tema, define inovação como a implementação de um novo ou significativamente melhorado produto (bem ou serviço), processo, método de marketing ou método organizacional nas práticas de negócios, local de trabalho ou relações externas da organização. Ainda segundo o Manual de Oslo, o que diferencia uma inovação de uma melhoria é o grau de novidade ou de significância da mudança obtida com a inovação, que pode ocorrer através de uma única mudança significativa ou de um conjunto de mudanças incrementais que juntas representem uma mudança significativa.

A implantação efetiva de inovações é reconhecida como uma forma de construir vantagem competitiva sustentável e aumentar o desempenho organizacional. Na área de Engenharia de Software, a crescente demanda por software e o aumento da complexidade dos sistemas tem levado ao surgimento de inovações, como novos paradigmas, métodos e ferramentas de desenvolvimento, buscando produzir software com maior qualidade e em menor tempo. Estas inovações de processo são novas formas de construir software, e variam no grau com o qual alteram os processos de desenvolvimento e manutenção.

Uma das grandes dificuldades na área é a adaptação às rápidas mudanças, tanto nos paradigmas, métodos e ferramentas de desenvolvimento, como nas necessidades de negócio do mercado e no papel que o software possui nas organizações. Poucos profissionais presenciam mudanças tão rápidas em suas bases de conhecimento e requisitos de trabalho como a área de Engenharia de Software.

Um dos requisitos para as organizações alcançarem os níveis mais altos de maturidade dos modelos MPS-SW e CMMI-DEV é serem capazes de identificar e implantar inovações tecnológicas e de processo que sejam adequadas ao seu negócio e que signifiquem melhorias em seus processos, aumentando sua capacidade de atingir requisitos de qualidade e desempenho.

Tipos de inovação

O Manual de Oslo se propõe a sintetizar o conhecimento sobre inovação para guiar pesquisas na área e permitir comparações e apresenta alguns tipos de inovação. Existem quatro tipos de inovação com relação ao objeto alterado:

· Inovação de Produto: é a introdução de um bem ou serviço novo ou significativamente melhorado no que diz respeito às suas características e uso pretendido. Este tipo inclui melhorias significativas em especificações técnicas, componentes e materiais, softwares incorporados, facilidade de uso ou outras características funcionais. Caso envolva novas tecnologias, pode ser considerada inovação tecnológica;

· Inovação de Processo: é a implementação de um método de produção ou entrega novo ou significativamente melhorado. Este tipo inclui mudanças significativas em técnicas, equipamentos e/ou softwares. Caso envolva novas tecnologias, pode ser considerada inovação tecnológica;

· Inovação de Mercado: é a implementação de um novo método de marketing envolvendo mudanças significativas na concepção ou embalagem, na colocação, na promoção ou no preço do produto;

· Inovação Organizacional: é a implementação de um novo método organizacional nas práticas de negócio, organização do trabalho ou relações externas da organização.

Com relação à abrangência, as inovações são classificadas em três níveis:

· Inovação Mundial: quando a inovação é inédita, ou seja, nenhuma organização ainda implantou a inovação no mundo;

· Inovação para o Mercado: quando a inovação é inédita no segmento ou cadeia produtiva da organização, mas já foi utilizada em outros segmentos ou cadeias produtivas no mundo;

· Inovação para a Organização: quando a inovação é inédita no âmbito da organização, mas já foi utilizada inclusive no mesmo mercado ou cadeia produtiva.

Alguns autores não consideram os níveis mais restritos (para o mercado e para a organização) como inovação, por já terem sido utilizadas anteriormente. O Manual de Oslo considera os três níveis como inovação por afetarem o sistema inovador como um todo. Os níveis mais restritos tratam da adoção de inovações realizadas inicialmente no ambiente externo à organização pelo processo de difusão, que envolve a transferência de conhecimento. Algumas vezes a adoção de uma inovação externa à organização é seguida por m ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo