De que se trata o artigo

Com a necessidade de tentar melhorar os processos de desenvolvimento de software e acompanhando as tendências da Engenharia de Software, que trouxe mais visibilidade aos métodos ágeis, várias empresas optaram por implantá-los em sua organização, porém de maneira desordenada. Este relato descreve a implantação de metodologias ágeis em uma organização baseada em linhas de produto e, com base nos resultados alcançados, propõe uma adaptação com o uso de Scrum, XP e Kanban.

Em que situação o tema útil

Em ambientes baseados em linhas de produto que possuem uma grande diversidade de clientes com prioridades diferenciadas e que necessitam de adaptações em seus processos de desenvolvimento de software.

Autores: Giselle Tavares e Felipe Furtado

Na última década as metodologias ágeis vêm ganhando espaço no mercado de Tecnologia da Informação e Comunicação. Várias pesquisas mostram os bons resultados alcançados por essas empresas, por exemplo, a pesquisa conduzida por Scott Ambler em 2008 que relatou que 82% das empresas tiveram melhorias na produtividade, enquanto que 77% apresentaram melhorias na qualidade do produto. Em 2010, Ambler relata uma taxa de sucesso de 55% dos projetos que utilizaram metodologias ágeis.

De acordo com a Figura 1, dentre as metodologias mais utilizadas, o Scrum normalmente aparece como uma das preferidas pelas organizações (53%), seguida do uso em conjunto com o XP (17%). Nesta mesma pesquisa, a adoção conjunta de Scrum e Kanban (3%) começa a ser percebida.

Figura 1. Metodologias ágeis mais utilizadas [7].

No entanto, algumas empresas encontram dificuldades na implantação das metodologias, ora por falta de conhecimento, ora por dificuldade na adaptação de tais metodologias ao contexto de seus projetos. Por exemplo, empresas baseadas em linhas de produto possuem características que dificultam a adoção de iterações de tamanho fixo e escopo fechado, conforme definido pelo Scrum.

Este artigo relata a experiência de uma empresa baseada em linha de produto que iniciou a implantação de metodologias ágeis a partir do Scrum e, em seguida, a prática Pair Programming, originada do XP. A opção pelo Scrum veio para auxiliar no gerenciamento do projeto, percebendo-se que a equipe de desenvolvimento estava crescendo para suprir às demandas de customizações, e o Pair Programming para diminuir a curva de aprendizado dos novos integrantes da equipe. A partir da análise de alguns problemas, este artigo sugere a utilização de um processo adaptado em conjunto com o Scrum e Kanban, a fim de preencher lacunas nas quais as limitações das metodologias implantadas não supriram.

Este relato está organizado da seguinte maneira: inicialmente são apresentados os conceitos sobre Linha de Produto, Scrum, XP e Kanban. Em seguida, é apresentada a análise da implantação do Scrum e do Pair Programming na empresa aqui estudada, e uma proposta para adaptação do processo implantado com o Kanban.

Linhas de Produto

Empresas de Linhas de Produto são aquelas que produzem um software possível de ser utilizado por segmentos de mercado diversos, mas que pode ser adaptável para cobrir as necessidades específicas de seus clientes, pensando ainda no valor de negócio como um todo.

De acordo com o Software Engineering Institute, uma linha de produto utiliza técnicas e práticas de engenharia para criar um conjunto de sistemas que compartilham características comuns, satisfazendo as necessidades específicas de um determinado segmento do mercado ou missão, e que são desenvolvidos a partir de um núcleo comum de maneira prescrita. Tem como atividade principal a integração ao invés do desenvolvimento.

...
Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo