Guia Requisitos, Modelagem e UML

Como trabalhar com UML na prática

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (13)  (0)

Este artigo apresenta como trabalhar com os diagramas de caso de uso da UML, classes e sequência para a modelagem de uma funcionalidade de cadastro de funcionário.

Fique por dentro
A UML é uma linguagem de modelagem utilizada para especificar, construir, visualizar e documentar os artefatos de um software. No presente artigo, apresentaremos a linguagem UML juntamente com os seus diagramas, dando ênfase na prática à modelagem para uma funcionalidade de cadastro de funcionário. Na modelagem iremos definir os requisitos utilizando as técnicas de obtenção de requisitos e, em seguida, desenvolveremos os diagramas de caso de uso textual, caso de uso gráfico, diagrama de classe e diagrama de sequência. Para um bom projeto de software, o uso da modelagem com os diagramas da UML é fundamental, uma vez que ela facilita as atividades do programador com relação ao entendimento do sistema, evita o desenvolvimento de telas desnecessárias, minimiza erros e evita o retrabalho.

Este artigo visa realizar uma análise para o cadastro de funcionário da empresa fictícia Comercial Ribeiro & Silva. A análise será realizada conforme os padrões da UML mas, para isso, será necessário abordar alguns conceitos básicos da linguagem.

Define-se a Linguagem de Modelagem Unificada como uma linguagem utilizada para especificar, construir, visualizar e documentar os artefatos de um software. A UML foi lançada como proposta para padronização no OMG (Object Management Group) em janeiro de 1997 e, em setembro do mesmo ano, o OMG tornou-a como padrão internacional para modelagem.

A UML atingiu dois aspectos importantes. Primeiro, acabou com as diferenças entre os métodos de modelagem anteriores e, após, unificou as perspectivas entre vários sistemas de diferentes tipos (negócios e software), etapas de desenvolvimento (análise, projeto e implementação) e conceitos internos.

O projeto da UML buscou criar uma linguagem de modelagem que alcançasse algumas metas, tais como:

· Fornecer à comunidade uma linguagem de modelagem visual pronta para o uso;

· Proporcionar a modelagem orientada a objetos (análise que busca encontrar e descrever os objetos no domínio do problema. Por exemplo, no caso de um cadastro de funcionário, os elementos dos conceitos envolvem pessoa, funcionário, entre outros);

· Prover o aumento do mercado de ferramentas voltadas para a orientação a objetos;

· Suportar as especificações, independentes de qualquer linguagem de programação;

· Proporcionar uma base formal para o entendimento das pessoas em relação à linguagem de modelagem;

· Unificar as melhores práticas para modelagem de sistemas.

A UML é utilizada para a modelagem de vários tipos de sistemas e é independente de ferramentas de modelagem de software. Embora a sua especificação apresente algumas sugestões para os fabricantes de ferramentas (tópicos como cores a serem usadas, desenho de diagramas, navegação, entre outros), ela não menciona todos os requisitos necessários que uma ferramenta precisa atender.

A linguagem de modelagem UML não é uma metodologia, o que significa que ela não informa o que deve ser realizado. Ela apenas provê um conjunto de diagramas e seus componentes para serem utilizados no desenvolvimento da modelagem dos sistemas.

Para desenvolver a modelagem com a UML é preciso compreender os elementos básicos que compõem o modelo, os relacionamentos e os diagramas. A seguir serão conceituados cada um desses elementos.

Elementos básicos do modelo

Definem-se elementos básicos da UML como os elementos utilizados para a construção dos diagramas. Os principais elementos da linguagem UML são:

· Ações: as ações são unidades básicas de especificação de comportamento que simula uma alteração ou processamento em determinado sistema;

· Atividades: as atividades são particularidades de um comportamento parametrizado que é expresso como um fluxo de execução a partir de dados sequenciados;

· Ator: é um papel ou conjunto de papéis que um usuário realiza quando participa de um caso de uso;

· Caso de Uso: consiste em uma sequência de ações executadas pelo sistema, interagindo com os atores;

· Classe: representa um grupo de objetos com características parecidas;

· Colaboração: sugere as instâncias e cooperações de elementos envolvidos na realização de alguma atividade;

· Componente: é uma parte do sistema que é representado modularmente e que pode ser substituído por outro;

· Nó: o nó representa um elemento físico que pode oferecer recursos computacionais;

· Nota: símbolo com informações textuais.

Para melhor entendimento, a Figura 1 ilustra alguns elementos básicos da UML.

Figura 1. Elementos de Estrutura da UML.

Relacionamentos

Os relacionamentos ligam os elementos da UML entre si. Os principais tipos de relacionamentos são:

· Associação: a associação é um tipo de relacionamento entre dois ou mais classificadores envolvendo conexões entre suas instâncias. Pode-se ter associação unária, binária, entre outros tipos;

· Dependência: relacionam" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Suporte ao aluno - Deixe a sua dúvida.