Por que eu devo ler este artigo:Abordaremos uma visão geral sobre a gestão de mudança, apresentando seu conceito e elucidando as facilidades trazidas através de sua utilização. Além disso, iremos exemplificar, de maneira prática, como implantar um sistema controle de versão para pequenos projetos utilizando o serviço de hospedagem Bitbucket e o sistema de controle de versões Git. Este artigo é útil porque, para qualquer projeto de software onde há mais de uma pessoa envolvida, a gerência de mudanças é uma necessidade. Já realizou alterações em seu código para realizar algum teste e não conseguiu retornar ao ponto em que estava? Já teve seu código sobrescrito por alguém da equipe? Tem dificuldade em lembrar quando e por quem alguma alteração foi feita? Se sua resposta é ‘sim’ para qualquer uma destas perguntas, então este artigo é essencial.

O processo de desenvolvimento de software, desde o surgimento da proposta até a concepção final do sistema, pode se tornar muitas vezes uma tarefa longa e árdua devido à não utilização de técnicas fundamentais de engenharia de software. Isso pode acontecer, por exemplo, devido ao desconhecimento da equipe da existência de tais métodos. Neste cenário se enquadram aqueles que estão começando na área de tecnologia, ou seja, pela inexperiência da equipe em saber definir quais metodologias devem ser aplicadas e em qual momento. Da mesma forma, o foco exacerbado em metodologias e na aplicação destas puramente da forma expressa nos livros torna o processo enfadonho e lento.

A engenharia de software tem como desafio demonstrar a necessidade de etapas bem definidas no processo de desenvolvimento, produzindo assim softwares com qualidade superior, mas estes processos devem estar adaptados à realidade da equipe e projeto.

Sabendo disso, iremos introduzir os conceitos da gerência de configuração voltado para equipes reduzidas e projetos de pequeno porte. Projetos onde os papéis assumidos por cada membro da equipe não são únicos e funções são acumuladas. Ao final desta leitura, esperamos que você esteja apto a implantar um sistema de controle de versões em seus projetos. Iremos, primeiramente, definir o que é a gerência de mudanças e demonstrar sua importância no processo de desenvolvimento de software. Em seguida, vamos apresentar o Git como um sistema de controle de versões e ensinar o fundamental para que seja possível dar os primeiros passos na utilização dessa formidável ferramenta.

A origem da demanda

Inicialmente é necessário entender o significado do termo configuração do sistema. Podemos dizer que gerenciamento de configuração nada mais é do que controlar a evolução do sistema e dos produtos gerados, tanto códigos-fonte quanto documentos ou quaisquer outros elementos adicionados.

Tomada essa definição, imagine agora que daremos início a um projeto de um sistema. Como exemplo, consideremos um website, e, para executar esse projeto, iremos contar com a ajuda de mais uma pessoa trabalhando no mesmo ambiente em que nós, na mesa à nossa frente. Talvez, neste contexto, o gerenciamento de mudanças não se faça tão necessário, uma vez que é possível que nós e nosso companheiro de projeto tenhamos total controle sobre o que acontece, quanto aos arquivos que foram modificados ou bugs que foram consertados. Em cenários como esses, o que vemos são as pessoas utilizando formas bem particulares de gerir as mudanças, executando essa tarefa muitas vezes de forma inconsciente.

Agora tomemos um cenário bem distinto do anterior. Suponha o desenvolvimento de um sistema amplo, com centenas de funcionalidades, para uma empresa multinacional, onde a equipe escalada para seu proje ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo