Gerenciamento do tempo em projetos de software usando PMBOK

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (3)  (0)

Este artigo apresenta os conceitos referentes ao gerenciamento de tempo para um projeto, diferenciando seus principais aspectos e mostra quais são os conhecimentos utilizados nos processos que o compõe, propostos pelo PMBOK.

Fique por dentro
Este artigo apresenta os conceitos referentes ao gerenciamento de tempo para um projeto, diferenciando seus principais aspectos e mostra quais são os conhecimentos utilizados nos processos que o compõe, propostos pelo Guia PMBOK.

O tema é útil principalmente para gerentes de projetos que buscam a melhoria do processo de gerenciamento do tempo em projetos de desenvolvimento de software.

Serve também para desenvolvedores de software que trabalhem em equipes de projeto e que visem aprimorar seus conhecimentos na elaboração e controle de cronogramas e suas responsabilidades em relação às atividades de controle do tempo de forma mais adequada.

Em processos de desenvolvimento de software o Tempo destinado às atividades do projeto é um dos principais elementos e o mais ambíguo a ser estabelecido. Muitas vezes ele não é definido pela equipe de projetos e sim pelo cliente que possui uma necessidade pulsante em sua área de negócio e estabelece limites para resolvê-la.

Com isso, as características do software ou das necessidades do cliente podem realizar uma variação do Gerenciamento do Tempo no projeto, por isso, ela é uma atividade extremamente dinâmica, junto com o Gerenciamento do Escopo, possuindo diversas variantes que influenciam no seu gerenciamento.

A tarefa de gerenciar o tempo do projeto engloba, além do minucioso processo para a criação e monitoramento do cronograma, a adaptabilidade do projeto em relação a mudanças ou necessidades criadas no mesmo, e ainda, o gerenciamento dessas mudanças.

Um projeto que envolva o desenvolvimento de software inclui as dificuldades em se manter os requisitos levantados no início do projeto até o término dele, nisso está a importância, associada ao gerenciamento do tempo das atividades, de uma boa coleta de requisitos inicial.

Pois, é com base no detalhamento do escopo do projeto que o cronograma será criado. Logo, um cuidadoso Gerenciamento do Tempo e do Escopo é a parte substancial do desenvolvimento de um projeto que envolva a construção de software.

Os mecanismos necessários para o Gerenciamento do Tempo

Segundo o Guia de conhecimento PMBOK, são sete os elementos necessários para o Gerenciamento do Tempo de um projeto. São eles: o plano de gerenciamento do cronograma, a definição das atividades, o sequenciamento das atividades, a estimativa dos recursos das atividades, a estimativa das durações das atividades, o desenvolvimento do cronograma do projeto e o controle dele.

Em pequenos projetos de desenvolvimento alguns desses processos podem estar sobrepostos, sendo executados de uma só vez, como por exemplo, a definição, o sequenciamento e a estimativa de duração das atividades, resultando no desenvolvimento do cronograma.

Neste artigo eles serão mostrados isoladamente, para que um entendimento amplo de cada processo possa ser obtido. Ressaltamos que existem detalhes e ferramentas utilizadas que são muito importantes para o bom gerenciamento.

A tarefa de Controlar o Cronograma é a que dispensa maior esforço do Gerente, já que ela visa o cumprimento dos prazos para o término do trabalho do projeto. Para a execução dos processos referentes ao Gerenciamento do Tempo três itens são importantes: as Entradas, as Ferramentas e Técnicas e as Saídas.

As Entradas são mecanismos utilizados em cada processo, os quais podem oferecer informações ou dados referentes ao projeto, oriundos de fatores ambientais da empresa (determinações já estabelecidas e que devam ser observadas para o trabalho), por exemplo, ou de fatores externos (como calendário dos recursos) ou ainda, gerados a partir de outros processos de gerenciamento do projeto (como a baseline do escopo do projeto).

Já as Ferramentas e Técnicas utilizadas podem ser um padrão (utilizadas em todos os projetos da empresa) ou ainda estarem sendo utilizadas pela primeira vez no projeto em questão. Elas podem ser desde o planejamento em ondas sucessivas, passando por um software de auxílio ao gerenciamento de projetos, até a análise de desempenho realizada a partir do cronograma já criado.

Por sua vez, as Saídas são produtos, fornecidos durante o Gerenciamento do Tempo, relacionados à execução de um dos sete processos, dentre eles estão os processos de determinação de dependências das atividades, de análise de alternativas ou de compressão de cronograma, dentre outros.

As saídas também podem variar muito, desde o Plano de Gerenciamento do Cronograma, passando pela determinação das dependências entre as atividades com a construção do Diagrama de Redes do Cronograma do Projeto, até a criação do Cronograma e de atualizações no Plano de Gerenciamento de todo o Projeto.

Em relação aos processos que já foram citados devemos ressaltar que em todos eles o Gerenciamento do Tempo pode ser desenvolvido com métodos próprios ou estabelecidos para determinada área de aplicação de um projeto.

A área de Tecnologia da Informação possui uma vasta gama de métodos de análise e medição de tempo, por exemplo, estimativas utilizadas em metodologias ágeis de desenvolvimento de software, como a partição de pontuação das estórias definidas pelo cliente, ou ainda, outras métricas como a Análise de Pontos por Função ou por Casos de Uso, dentre outras.

Considera-se que, embora o Guia trabalhe com os processos definidos, outros métodos próprios para projetos de TI e que não são tratados no PMBOK (já que o objetivo do Guia é outro), podem ser manipulados em conjunto e durante o próprio Gerenciamento do Tempo, realizado através dos processos estabelecidos no PMBOK.

A seguir, encontram-se, em cada uma das seções, os processos necessários para o Gerenciamento do Tempo, exemplificados em sua maneira de coexistirem em projetos de desenvolvimento de software. Esses processos devem ocorrer pelo menos uma vez em cada projeto e serem repetidos em cada uma das fases em que um projeto for dividido. De maneira diversificada, eles fazem uso dos mecanismos (entradas, ferramentas e técnicas e saídas) apresentados.

Plano de Gerenciamento do Cronograma

O processo de Planejar o Gerenciamento do Cronograma envolve atividades como definir políticas, procedimentos e documentação para a criação e o controle do cronograma. Elas são executadas com o objetivo de desenvolver o Plano de Gerenciamento do Cronograma (que pode ser um documento formal ou informal).

Esse documento será parte integrante do Plano de Gerenciamento do Projeto e deve ser atualizado conforme mudanças ocorrerem no projeto. Ele é importante principalmente por direcionar como o cronograma deve ser gerenciado durante a execução do projeto.

A Figura 1, retirada do Guia PMBOK, ilustra o conjunto de entradas, de ferramentas e técnicas e de saídas que estão presentes nesse primeiro processo de Planejamento do Gerenciamento do Cronograma.

Figura 1. Entradas, ferramentas e técnicas e saídas para o Plano de Gerenciamento do Cronograma.

A seguir são apresentadas as entradas pertencentes a esse processo, com um exemplo de como elas podem ser conseguidas em projetos de desenvolvimento de software:

· Plano de gerenciamento de projeto: documento no qual são determinadas as diretrizes de gerenciamento para o projeto, levando em consideração todas as áreas do PMBOK. O plano é uma entrada para o planejamento do Tempo, pois, contém as principais definições de necessidades estabelecidas para o gerenciamento de todo o projeto, possibilita" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?