Artigo do tipo Teórico
Recursos especiais neste artigo:
Conteúdo sobre Engenharia.
Autores: Edson A. Oliveira Junior e Maicon Giovane Pazin

Do que se trata o artigo
Atualmente o SPEM (Software & Systems Process Engineering Metamodel) é a notação padrão da OMG (Object Management Group) para modelagem de processos de desenvolvimento de software. Com seu meta modelo é possível manter e apoiar uma ampla gama de fragmentos de método e processos no desenvolvimento de projetos. A forte ligação do SPEM com a UML (Unified Modeling Language) faz essa notação se destacar entre as abordagens mais discutidas na literatura técnica relacionada à engenharia de processos.

Em que situação o tema é útil
Esse tema é útil para gerentes, arquitetos e engenheiros de software que buscam soluções para aprimorar a modelagem de processos de software.

SPEM para Modelagem de Processos de Software
Neste artigo serão apresentadas especificações de processos de desenvolvimento de software utilizando a linguagem SPEM, mantida pela OMG. Como forma de demonstrar os principais conceitos do SPEM será utilizado o Processo Unificado (PU) para representar um processo de software usual.

Atualmente padrões estão emergindo no escopo da modelagem de processos. Alguns vindos da evolução de especificações antigas, enquanto outros são novos conceitos introduzidos ao domínio. Nesse contexto a Object Management Group (OMG) se destaca como uma das mais relevantes organizações internacionais responsáveis por manter padrões abertos para aplicações orientadas a objetos.

Um dos principais padrões desenvolvidos pela OMG é o metamodelo SPEM, sendo o SPEM 2.0 a notação padrão da OMG para modelagem de processos de desenvolvimento de software e seus componentes. Essa linguagem possui forte ligação com a UML por meio do seu metamodelo especificado na forma de um modelo MOF (Meta Object Facility) e do seu perfil UML utilizado para definir um conjunto de estereótipos para representação de elementos de processos.

Nesse artigo serão apresentados os principais conceitos envolvidos na especificação de processos de desenvolvimento de software utilizando o SPEM 2.0. O Processo Unificado (PU) será utilizado como um processo de software usual para exemplificar o uso do SPEM na modelagem de processos de software. Além disso, algumas ferramentas de modelagem que suportam o SPEM como o EPF (Eclipse Process Framework) Composer e a Enterprise Architect (EA) serão apresentadas.

Processos de Software

Um processo define quem está fazendo o que, quando e como para alcançar certo objetivo. Na engenharia de software o objetivo de um processo é construir ou alterar um produto de software já existente. Para um processo ser efetivo, ele deve promover diretrizes para o eficiente desenvolvimento de software de qualidade.

Quando processos são descritos e discutidos, suas atividades (activities) são normalmente tratadas, como, por exemplo, na especificação de modelos de dados, do projeto e da interface do usuário, além da ordenação cronológica dessas atividades.

Quando complexas, as atividades podem incluir subatividades (sub-activities), as quais são tratadas nesse artigo como passos (steps) para a realização de tarefas no contexto de uma atividade. Entretanto, descrições de processos podem também ser incluídas:

...
Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo