Por que eu devo ler este artigo:Atualmente, o Microsoft Visual Studio é a principal ferramenta de desenvolvimento integrado disponível no mercado. Além de ser uma ferramenta excelente, ele é a base para uma das principais linguagens de programação do momento, o C#, juntamente com o .NET Framework.

Desenvolvedores .NET dificilmente utilizam outra ferramenta, portanto é preciso conhecer as novidades que podem nos auxiliar no desenvolvimento de aplicações melhores. Esse artigo traz detalhes sobre as novidades do Visual Studio 2013, com destaque para as novidades do depurador e no gerenciamento do ciclo de vida da aplicação, além de apresentar o Visual Studio Online, e todas as vantagens e desvantagens que o desenvolvimento de software na nuvem pode oferecer.

O Microsoft Visual Studio pode ser considerado como a melhor IDE de todos os tempos. Desde a sua primeira versão, em 1997, vem trazendo novidades todos os anos, com grandes melhorias para o desenvolvimento de software. Hoje em dia, o Visual Studio é uma suíte de ferramentas de desenvolvimento integradas, capazes de facilitar a vida do desenvolvedor das tecnologias .NET.

Com grandes vantagens no desenvolvimento de aplicações para o Windows Phone 8, Windows Store e Web, o Visual Studio é um dos grandes trunfos da Microsoft para atrair ainda mais desenvolvedores e criar o maior número possível de aplicações para popular a Windows Store, que ainda está muito atrás de outras lojas de aplicações, como a App Store, da Apple, e o Google Play, do Google Android.

Microsoft Visual Studio 2013

O Visual Studio 2013 teve um aguardado lançamento no mercado, e está sendo muito elogiado por inúmeras evoluções com relação a seu antecessor. As ferramentas para desenvolvimento em equipes, sempre as mais interessantes para os usuários do Visual Studio, passaram por várias mudanças, que podem trazer uma série de benefícios para as empresas de desenvolvimento.

Algumas mudanças importantes no Visual C++ merecem destaque, bem como mudanças na depuração de código, no diagnóstico da aplicação e no gerenciamento de ciclo de vida, que mereceram tópicos a parte. A criação de aplicações para a Windows Store, um dos pilares da Microsoft nos dias atuais, também mereceu uma atenção especial nessa nova versão da ferramenta.

A versão 2013 do Visual Studio trouxe algumas mudanças nas ferramentas para algumas linguagens. Enquanto o C# vem crescendo no gosto dos desenvolvedores e está próximo de se tornar a principal linguagem de programação do mercado, o C++ com certeza não está morto.

Pensando nisso, a Microsoft trouxe algumas melhorias, adaptando o Visual C++ aos recursos do ISO C++ 11, a última versão da linguagem. Uma série de alterações foram realizadas, como suporte à bibliotecas C99, bibliotecas padrão de templates (o equivalente em C++ aos Generics do C#), contando ainda com suporte para criação de aplicações Windows Store com C++.

Além disso, o Visual C++ traz suporte a aplicações DirectX, podendo ou não utilizar o XAML para criação de aplicações gráficas. Essas aplicações não são suportadas pelo Visual C#, e são uma das grandes vantagens para a utilização do C++ com o Visual Studio. A Figura 1 mostra os principais tipos de projetos do Visual C++ no VS 2013.

abrir imagem em nova janela

Figura 1. Projetos Visual C++ no VS 2013

Em termos de linguagens, o Visual Studio 2013 também traz melhorias nas ferramentas para JavaScript e F#. O principal ponto diz respeito ao JavaScript, que traz notas de deprecação no IntelliSense, que é responsável por completar de maneira inteligente o que o desenvolvedor está digitando.

As mudanças basicamente dizem respeito ao editor da ferramenta, e trazem algum auxílio ao desenvolvedor ao escrever código.

Outro ponto que merece destaque no Visual Studio 2013 é a possibilidade da criação dos chamados Hub-style apps. Essas são aplicações Windows Store que permitem ao desenvolvedor a criação de uma experiência com o usuário através dos dados que o estão sendo mostrados na tela.

A criação de aplicações desse tipo era possível anteriormente, mas com a adição do template, ficou muito mais fácil. Além disso, é possível também diminuir o espaço que a aplicação irá ocupar em disco, utilizando os chamados bundles. Esses bundles podem ser criados através do menu Project->Store->Create App Packages, e uma janela irá abrir.

Esse menu funciona para criação de pacotes para a aplicação poder ser comercializada na Windows Store, e em uma etapa posterior do processo, a criação ou não do App Bundle pode ser realizada. Essa criação é recomendada em aplicações que utilizam muitas imagens ou outros recursos caros graficamente.

A tela inicial da IDE também foi modificada, criando uma ligação muito maior com a conta Microsoft, permitindo que o desenvolvedor esteja logado em sua conta durante todo o processo de desenvolvimento. Tal iniciativa foi para facilitar para os desenvolvedores o acesso a áreas sensíveis, como na hora de enviar uma aplicação para a Windows Store.

Os editores de código também trazem novos recursos, como o recurso de navegação dentro do código através das teclas CTRL + ,.

A partir do login à conta Microsoft, o desenvolvedor também tem acesso aos serviços na nuvem do Windows Azure. Os chamados Windows Azure Mobile Services (BOX 1) foram incorporados à IDE nessa versão, trazendo uma maior facilidade para o desenvolvedor na hora de conectar clientes em aplicações Windows Store.

Além disso, é possível trabalhar com esses serviços diretamente da IDE, não havendo necessidade de ir ao browser e navegar pela plataforma do Azure para tanto.

BOX 1. Windows Azure Mobile Services

Os serviços móveis do Windows Azure permitem ao desenvolvedor a utilização de serviços da nuvem em aplicações móveis. Os serviços que o Azure fornece são muitos, e estão disponíveis para as principais plataformas móveis do mercado. Com praticamente todo dispositivo do mundo conectado à internet, a Microsoft enxergou um nicho e utilizou esses serviços do Windows Azure para entrar com tudo no mercado móvel e da nuvem.

É possível inclusive a criação de aplicações móveis multiplataforma. Esses serviços do Azure envo ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo