Por que eu devo ler este artigo:

Neste artigo abordaremos a criação de relatórios inteligentes com base em informações tiradas de bancos de dados relacionais e com a utilização de recursos provenientes da Business Intelligence, mais conhecida por BI.

Utilizaremos nesse artigo softwares gratuitos que não são vistos comumente no mercado, como é o caso da Linguagem R, que é uma linguagem voltada para cálculos estatísticos e matemáticos, mas que por outro lado, nos oferece excelentes instrumentos para criação de gráficos baseados em data warehouses.

O termo Business Intelligencerefere-se ao conjunto de conceitos, métodos e recursos tecnológicos que habilitam à obtenção e distribuição de informações geradas a partir de dados operacionais e históricos, visando proporcionar subsídios à tomada de decisões gerenciais.

Uma característica fundamental de um processo de BI é que nele os dados são copiados da base de dados transacional e de outras fontes para a base de dados analítica, o que permite que as informações sejam extraídas desta última sem que o desempenho do sistema transacional seja prejudicado e da forma mais eficiente, eficaz e visualmente agradável possível, sempre focada na tomada de decisão.

Os dados podem, na sua origem, estar estruturados ou não, ou seja, podem vir de um sistema de informação com dados organizados e corretamente normalizados em tabelas e colunas, e podem ainda ser extraídos de sites da internet como texto puro, áudio, vídeo ou em outros formatos possíveis.

Apesar disso, em ambas as situações eles devem ser tratados e gravados em um formato que facilite a extração de informações e apoie as decisões dos gestores.

O que é Business Intelligence?

Business Intelligence (ou simplesmente, BI) é uma categoria ampla de aplicações e tecnologias para coleta, armazenamento, análise e fornecimento de acesso a dados para ajudar os usuários corporativos a tomarem melhores decisões de negócios.

As aplicações de BI incluem as atividades de sistemas de apoio à decisão, consulta e geração de relatórios, processamento analítico online (OLAP), análises estatísticas, de previsão e principalmente, de mineração de dados.

As aplicações em que podemos utilizar recursos da inteligência de negócios podem ser dentre muitas outras, onde:

· Temos uma missão crítica e integral para operações de uma empresa ou ocasional para atender a uma exigência especial;

· É para utilização em toda a empresa, ou uma divisão ou apenas em um departamento;

· Ele é iniciado ou conduzido de forma centralizada pela demanda do usuário.

O termo Inteligência de Negócios (Business Intelligence) significa, de forma resumida, coletar dados de diversas fontes, organizá-los, analisá-los e compartilhá-los com os executivos mais importantes da empresa. Estes então transformam essas informações relevantes em decisões importantes para o futuro das empresas.

O termo business intelligence vem sendo divulgado no mercado desde a década de 80, tendo ele sendo difundido pelo Gartner Group.

A partir daí, as empresas passaram a explorar mais pelas informações internas, contidas em um armazém de dados, e também as externas disponíveis no mercado com o intuito de se auto avaliarem e avaliarem seus concorrentes.

Com essas informações, eles eram capazes de fazer comparações e desenvolver estratégias de crescimento e aumento da produtividade da empresa no mercado e também de sua influência, sempre com o objetivo de guiar a organização ao crescimento, com uma maior faixa de lucros, clientes mais satisfeitos, menor relação de perda, maior velocidade no empreendimento, dentre outras características, ou seja, essa era a busca definitiva para o sucesso empresarial.

Este processo de autoavaliação e de estudos relacionados a seus concorrentes não pode ser considerado como sendo algo novo, já que podemos encontrar alguns exemplos disso na Antiguidade. Uma empresa precisa saber sobre seus concorrentes, assim como seus objetivos, suas estratégias, seus pontos fortes e fracos e também seus padrões de resposta.

Com o passar do tempo, diferentes tecnologias e métodos foram desenvolvidos não apenas para simplificar a forma de como as organizações manipulam as informações, mas também para gerar instrumentos que possam auxiliar nos processos referentes à tomada de decisões.

A abordagem mais utilizada nos tempos atuais que traz melhores resultados neste aspecto é o conjunto de práticas que conhecemos como Business Intelligence (BI). Uma solução de BI pode ser vista como um processo cíclico onde podemos destacar as seguintes atividades que são realizadas, sendo elas:

· Entrevistas e Identificação das Fontes de Dados: Estágio em que são conduzidas as entrevistas a determinados usuários, analisando de forma geral as suas necessidades e levantando também as origens das informações. Estas fontes podem ser obtidas através de planilhas, bancos de dados pré-existentes, arquivos de texto, documentos XML, etc;

· Planejamento das Soluções de BI: o principal objetivo desta fase será a criação de documentos que descrevam a estrutura que terá a solução, a fim de se obter um aceite formal daqueles que solicitaram o projeto.

· Criação de um Data Warehouse: em termos práticos, um Data Warehouse nada mais é do que uma coleção de dados organizados em um formato que facilite a extração de informações. Levando-se isso em consideração, esta fase, no entanto, focará na construção de bancos de dados projetados para atender às necessidades de um projeto do business intelligence;

· Criação de um Processo de ETL: ETL é uma sigla que em termos gerais, significa “Extraction, transformation and Load”.

A implementação deste tipo de construção envolve a obtenção de dados de um ou mais repositórios de origem. A transformação desses dados seguindo critérios específicos a um determinado contexto e, por fim, é passado para uma base de dados de destino (que no caso, é um Data Warehouse que foi construído no passo anterior);

· Criação de Cubos: os cubos são estruturas multidimensionais utilizadas na geração de análises típicas de soluções de BI. Estas construções são implementadas a partir das bases de dados do Data Warehouse, onde torna possível a geração dos mais variados tipos de relatórios;

· Construção de Relatórios: os relatórios são de certa forma, os elementos mais importantes das soluções do BI. Já que além de permitirem a visualização das análises geradas através dos cubos e de outros tipos de repositórios, muitas das ferramentas de geração de relatórios oferecem funcionalidades para a exportação das informações nos mais variados formatos;

· Testes e Ajustes Finais na Solução: as diferentes funcionalidades construídas nas etapas anteriores são então testadas nesta fase. Onde eventuais erros e até mesmo ajustes devidos a uma baixa performance deverão ser realizados durante esta etapa do processo;

...
Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo