Por que eu devo ler este artigo:Este artigo é útil para que desenvolvedores de software conheçam medidas importantes que podem auxiliar todo o processo de desenvolvimento de software a partir do momento em que essas práticas ajudam na compreensão dos requisitos de software, dos solicitantes destes requisitos, da alteração dos mesmos, e dos principais problemas aos quais os requisitos de software estão sujeitos.

Por fim, a maior utilidade está em prover a compressão sobre como se executar bem a fase de engenharia de requisitos.

A engenharia de requisitos é a disciplina que de fato tem a missão de ajudar a equipe de desenvolvimento a entender o software a ser elaborado. É a base sólida para se andar do projeto até a construção. Ela é constituída pelas fases apresentadas na Figura 1. São elas:

· Concepção: fase inicial que define o escopo do problema de software;

· Elaboração: fase em que os requisitos são refinados e modelados em cenários;

· Validação: a fase em que ocorre a validação dos requisitos, onde a equipe faz uma revisão dos mesmos, para que se tenha a certeza de que os requisitos foram elicitados de maneira não ambígua;

· Gerência de Requisitos: fase em que se controla, analisa e registra as mudanças de requisito, isto a fim de verificar os impactos das alterações no produto de software em desenvolvimento.

Figura 1. Engenharia de Requisitos.

Requisitos: O necessário para entendê-los

Um requisito é uma capacidade que o software deve possuir com a finalidade de resolver um problema do usuário. Os requisitos servem como especificação do que deve ser implementado no sistema.

Os requisitos devem descrever uma facilidade para o usuário, uma propriedade ou uma restrição do sistema, ou ainda, uma restrição do processo de desenvolvimento do sistema.

Os requisitos de software são de três tipos:

· Requisitos funcionais: são requisitos que descrevem uma ação que o software deve ser capaz de realizar;

· Requisitos não funcionais: são requisitos que tratam das restrições do software visando sempre a qualidade, ou seja, é uma qualidade que o software deve possuir durante a sua execução;

· Requisitos inversos: são requisitos que definem o que nunca deve ocorrer durante a execução do software;

Os requisitos funcionais são de dois tipos:

· Requisitos estáveis: requisitos que não são alterados ou modificados com frequência, sua alteração é algo excepcional;

· Requisitos voláteis: são requisitos que vivem em constante modificação, eles podem ser divididos em quatro categorias: compatíveis, mutáveis, emergentes e consequentes.

Os requisitos ainda podem ser divididos em outra categoria, se vistos pelo aspecto da implementação:

· Requisitos do cliente, ou requisitos de alto nível: são aqueles expostos pelo cliente em linguagem natural, ou ainda em forma de desenhos ou casos de uso, qua ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo