Do que se trata o artigo:

O artigo apresenta a integração da tecnologia JavaServer Faces (JSF 2.0) com o Google APP Engine (GAE). Por meio do desenvolvimento de uma pequena aplicação serão demonstradas as configurações necessárias para o funcionamento dos componentes JSF no ambiente GAE, além de hospedar gratuitamente a aplicação nos servidores do Google. Por fim, é apresentado o mecanismo de armazenamento de dados utilizado pelo GAE.

Em que situação o tema é útil:

Este tema é útil no processo de hospedagem e gerenciamento de aplicações web desenvolvidas a partir de componentes JSF, tirando do desenvolvedor a preocupação com hardware, proporcionando fácil desenvolvimento, implantação e escalabilidade.

Resumo DevMan:

Este artigo apresenta, por meio de uma visão geral, as vantagens e limitações do Google APP Engine (GAE), que é uma plataforma disponibilizada pelo Google para hospedar e gerenciar aplicações web de maneira gratuita. A integração da tecnologia JSF 2 com o GAE é demonstrada a partir da construção de uma aplicação web. Em relação à persistência, é apresentado o funcionamento do mecanismo de armazenamento de dados utilizado pelo Google APP Engine.

Autores: Everton Coimbra de Araújo e Fernanda Cristina Girelli

A Internet surgiu em plena Guerra Fria, mas foi somente em 1990, com a criação da World Wide Web (WWW), que ela alcançou uma maior popularização. Com o surgimento da World Wide Web tornou-se possível a utilização de uma interface gráfica e a criação de sites mais dinâmicos e visualmente mais interessantes. A partir deste momento, a Internet começou a crescer em um ritmo acelerado.

A criação de sites antigamente se resumia basicamente à construção de páginas HTML, deixando o site com poucas funcionalidades interessantes e, em alguns casos, sem funcionalidades. Os serviços de hospedagem de sites possuíam muitas limitações de velocidade e ferramentas técnicas, além de um custo financeiro bastante elevado.

Atualmente, existem muitos recursos que auxiliam no desenvolvimento web. Entre eles está o JavaServer Faces (JSF), que é um framework para desenvolvimento web baseado em Java e se destina a facilitar o desenvolvimento de interfaces de usuário. Com o surgimento do conceito de computação em nuvem, a hospedagem desses aplicativos tornou-se menos complexa, pois utiliza servidores com grande capacidade de processamento e armazenamento de dados. Estes servidores, por sua vez, são interligados à Internet, tornando possível o acesso remoto a aplicativos, arquivos e serviços.

O Google APP Engine (GAE) é uma plataforma gratuita para hospedagem de aplicações web que utiliza o conceito de computação em nuvem. Essa é uma tecnologia recente, que proporciona um processo fácil de desenvolvimento e implantação, além de não ser necessário se preocupar com o hardware, já que os aplicativos serão hospedados em servidores oferecidos pelo Google.

Neste contexto, esse artigo possui o intuito de apresentar os conceitos relacionados ao Google APP Engine, bem como sua integração com o JavaServer Faces 2. A realização dessa integração será demonstrada por meio do desenvolvimento de uma aplicação web com as configurações necessárias para a sua hospedagem no GAE, além de utilizar o mecanismo de persistência do próprio Google APP Engine para o armazenamento de dados.

Visão geral do Google APP Engine

Google APP Engine é uma plataforma oferecida gratuitamente pelo Google que permite desenvolver e hospedar aplicações web nas linguagens Java e Python. Essa plataforma proporciona uma maneira prática e eficiente para criar e manter aplicações, sem se preocupar com o hardware.

A hospedagem das aplicações é gratuita até 500 MB de armazenamento, permitindo cinco milhões de visualizações de páginas por mês. À medida que a aplicação for conquistando um maior número de visitas (público), é possível a contratação de um limite maior para armazenamento e visualização de páginas.

Esta plataforma oferece várias vantagens ao programador, tais como:

· Fácil escalabilidade das aplicações;

· Armazenamento de dados;

· Envio de e-mail;

· Memória cache de alto desempenho, que pode ser útil para dados temporários, isto é, que não serão armazenados em uma base de dados;

· Suporte a duas linguagens de programação: Java e Python;

· Suporte a Servlet, JSP, JSF, JPA, JDO e JavaMail;

· Suporte a manipulação de imagens, ou seja, é possível redimensionar, cortar, girar e inverter imagens nos formatos JPEG e PNG;

· Configurações do tempo de duração dos cookies;

· Logs de usuários.

Em contrapartida, algumas limitações precisam ser destacadas:

· Não suporta a escrita de arquivos;

· Não suporta EJB, RMI, Threads, JDBC, JMS e JNDI;

· Não suporta consultas SQL, pois não é oferecido um banco de dados relacional.

Para hospedar uma aplicação utilizando o Google APP Engine é necessário possuir uma conta no Google. A criação de um espaço no GAE é efetuada no site http://code.google.com/intl/pt-BR/appengine/ clicando sobre o link Inscreva-se, lembrando que é possível hospedar até 10 aplicativos por conta no Google.

Na realização desse cadastro será necessário informar um título e um identificador para a aplicação que será hospedada. O identificador deverá conter somente letras minúsculas e sem caracteres especiais. Para verificar a validade do identificador basta clicar sobre o botão Check Availability. Este identificador deverá ser bem guardado, pois será utilizado para efetuar o deploy da aplicação. Feito isso, basta clicar no botão Create Application. Veja a Figura 1.

Figura 1. Criação da conta no Google APP Engine.

Para concluir o cadastro, deve ser informado um número de celular, o qual receberá um código para ativar a conta. A informação deste número será necessária uma única vez, ou seja, somente na realização do cadastro no Google APP Engine.

Criando uma aplicação no Google APP Engine

Para criar uma aplicação Google APP Engine será utilizada a IDE Eclipse Helios 3.6, que possui um plugin para o uso do GAE. No site http://code.google.com/intl/pt-BR/eclipse/docs/download.html está disponível um tutorial com os procedimentos para instalação do plugin para cada versão da IDE. Após a instalação do plugin, é disponibilizado um ícone do Google na barra de ferramentas do Eclipse. Veja a Figura 2.

...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo