Introdução ao IBM Data Studio

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (2)  (0)

Veja neste artigo uma introdução à ferramenta IBM Data Studio, um ambiente integrado e modular para o desenvolvimento de bancos de dados e administração do IBM DB2.

1. Introdução

Sempre que se ouve falar sobre ferramentas IBM, ou mesmo apenas sobre a própria empresa, é comum vermos olhos atentos ao que vem. Não é de hoje que a IBM conquista cada vez mais espaço no mundo da tecnologia, principalmente por seus hardwares, mais recentemente pelos seus softwares também. A IBM (International Business Machines Corporation), como o próprio nome diz foi uma empresa criada para prover soluções para grandes negócios corporativos. O “machines” vem da ideia de que as máquinas naquela época eram muito mais importantes que os programas que as manipulavam, uma vez que não se tinha ideia do que o futuro guardava.

Os produtos IBM são, em sua grande maioria, de boa qualidade, robustos e flexíveis. E a mesma empresa investe em fazer jus ao nome e ao que a mesma se designa a fazer.

Quando nos referimos às ferramentas de desenvolvimento, vários nomes podem ser citados, tais como:

  • RAD (Rational Application Developer);
  • RSA (Rational Software Architect);
  • IDS (IBM Data Studio, este que falaremos aqui);
  • WSAD (WebSphere Studio Application Developer).

dentre muitos outros.

Este artigo tem a intenção de mostrar um overview sobre a ferramenta, exibindo alguns dos recursos legais que a mesma dispõe a seu favor.

2. A ferramenta

IBM ® Data Studio é uma ferramenta que fornece um ambiente integrado e modular para o desenvolvimento de banco de dados e administração do IBM DB2 ® para Linux, UNIX e Windows (Figura 1).

Ela também oferece ferramentas de banco de dados colaborativos de desenvolvimento para o IBM DB2 for z / OS ®, IBM DB2 for i, e IBM Informix ®. Além disso, este é um software disponível sem nenhum custo, gratuitamente.

Permite que desenvolvedores e administradores criem e gerenciem ambientes de banco de dados heterogêneos para aumento de produtividade e agilizem o desenvolvimento de banco de dados com validação de consultas avançadas, gerenciamento de objetos e recursos de implantação do sistema.

Além disso, permite maximizar a colaboração através de um ambiente integrado e plataformas compartilhadas e economizar tempo reduzindo erros usando ferramentas avançadas de dados de configuração, gestão e administração de recursos.

IBM Data Studio - Getting Started

Figura 1: IBM Data Studio - Getting Started

3. Instalação e Configuração

Faça o download do pacote de instalação gratuitamente no endereço: http://www.ibm.com/developerworks/downloads/im/data/.

Após isso, entre na pasta do pacote e execute o arquivo “setup” para iniciar o processo de instalação. A tela representada na Figura 2 será exibida. Selecione as opções “Instalar Produto > Instalação Administrativa” e aguarde enquanto o “IBM Installarion Manager” é aberto.

Instalação Data Studio

Figura 2: Instalação Data Studio

Quando o Installation Manager abrir, você verá duas opções de instalação, que já estarão selecionadas: o “Cliente integral IBM Data Studio” e a opção de versão (neste artigo, estamos usando a versão 3.1.0.0). Não marque nem desmarque nenhuma opção, selecione “Avançar” e aguarde até que o cliente processo tudo.

Na tela seguinte, aceite os termos de licença e clique em “Avançar”.

Obs.: Para aqueles que já estão familiarizados com instalações de ferramentas IBM, o processo é o mesmo e, portanto, os próximos passos podem ser ignorados.

Verifique o diretório de instalação e selecione “Avançar”. Em seguida, você será solicitado a selecionar o idioma de preferência para a ferramenta. Note que por padrão o idioma português já vem selecionado e clique em “Avançar” novamente.

Nota: Evite usar estas ferramentas em português. Isso dificulta para quem já está acostumado com o Eclipse (inglês), ou dificultará para quem um dia a usar.

Na próxima wizard você verá um checklist com os itens que serão instalados, deixe tudo como está e selecione “Avançar” mais uma vez. Na próxima tela você terá de preencher as configurações para os pacotes (opcional); isso existe para te ajudar quando houver atualizações da ferramenta, no quesito documentação. Pressione “Avançar” e finalmente “Instalar”.

4. Usando a ferramenta

O IBM Data Studio é uma ferramenta baseada no projeto source original do Eclipse. Isso significa que os conceitos base herdados da ferramenta deverão ser utilizados na nova.

O Data Studio trabalha com o conceito de workspaces para salvar todas as configurações feitas, bem como rearranjos de telas, arquivos de script criados, etc. No menu Iniciar do Windows, procure o ícone da nova ferramenta e execute-o.

A janela exibida na Figura 3 deverá aparecer solicitando o workspace, selecione o local desejado e clique em “OK”.

Seleção de workpace no IBM Data Studio

Figura 3: Seleção de workpace no IBM Data Studio

Após isso, a janela da Figura 4 será exibida, com a tela inicial da ferramenta.

Tela inicial do Data Studio

Figura 4: Tela inicial do Data Studio

Você terá a opção de fazer um overview da ferramenta através da aba “Task Launcher” (e é altamente aconselhado que o faça). Lá você encontrará links interessantes como tutoriais acerca de design de projetos, desenvolvimento e até monitoração da base.

A perspectiva usada, por default, é a “Database Administration perspective”, que trás uma disposição de janelas bem usadas na ferramenta.

Será mostrado um exemplo de conexão com o DB2, o banco padrão IBM, mas com o Data Studio você pode trabalhar com conexões às bases MySQL, Oracle, SQL Server e muitos outros.

Para tanto, selecione na aba “Administration Explorer” a seta ao lado do botão “New” > “New Connection to a database”. A janela da Figura 5 será aberta.

Parâmetros de nova conexão

Figura 5: Parâmetros de nova conexão

Em seguida, você terá de configurar alguns parâmetros:

  1. Nome da conexão que você está criando, por default “SAMPLE”.
  2. Qual o tipo de banco de dados ao qual está criando esta conexão. Por default a ferramenta lida principalmente com conexões ao DB2, mas conforme mostrado na Figura, conexões a outros bancos são possíveis.
  3. Qual o driver de conexão está utilizando. A ferramenta já vem habilitada com a maioria dos drivers para a maioria dos bancos. Isso é necessário quando está usando conexões JDBC.
  4. Parâmetros de conexão. Aqui você terá de informar quais os dados da conexão, tais como endereço do servidor de banco, nome do banco, porta e usuário e senha.
  5. Por fim, poderá testar se os dados estão todos ok clicando no botão “Test Connection”. Se algo estiver errado uma mensagem com o erro será exibida para te auxiliar.

Pronto, isso é o que você precisa para iniciar seu trabalho de comunicação com o banco. Após isso basta criar um arquivo de scripts e executar teus SQLs à base de dados.

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?