Com a constante necessidade de trabalhar em ambientes distribuídos surgiram alternativas, em Java, para que isso fosse possível. Uma dela e que estudaremos neste artigo é a Socket. Há diversos artigos e tutoriais na internet explicando como funciona o Socket e como realizar a conexão Cliente-Servidor, mas nosso objetivo vai mais além, pois queremos mostrar o funcionamento de cada método nessa poderosa classe e como utilizá-lo.

De acordo com a própria Oracle: “Socket é um ponto de comunicação entre duas máquinas”, ou seja, podemos enviar mensagens entre a máquina A e a máquina B através de uma conexão estabelecida com o Socket.

Para que essa comunicação seja possível nós precisamos criar a classe Servidora que é responsável por esperar a conexão do cliente e a classe Cliente que irá conectar-se no Servidor. Antes de iniciarmos a prática e começar a criar nosso ambiente de comunicação, vamos entender as classes que usaremos e seus métodos.

Quer ser um programador Java de sucesso? Confira nosso checklist e saiba como!

ServerSocket class

A primeira classe importante é a ServerSocket e ela é responsável por esperar a conexão do cliente. Esta classe possui um construtor onde passamos a porta que desejamos usar para escutar as conexões.

Listagem 1. Construtor

ServerSocket server = new ServerSocket(3322);

Veja na Listagem 1 que estamos criando um objeto ServerSocket passando como parâmetro o argumento 3322 que corresponde ao número da porta que será aguardada uma conexão do cliente. Existem outros construtores mas este é o mais utilizado.

  • accept(): O método accept() escuta uma conexão e aceita se alguma for encontrada. O accept() bloqueia todo o restante até que uma conexão seja feita, ele fica em espera aguardando que alguém conecte. Quando alguma conexão é aceita ele retorna um objeto Socket, que veremos mais à frente.
    Listagem 2. accept()
    ServerSocket server = new ServerSocket(3322);
    System.out.println("Servidor iniciado na porta 3322");
     
    Socket cliente = server.accept();
     
    //OUTRAS LÓGICAS AQUI
    Perceba na Listagem 2 que o trecho comentado “OUTRAS LÓGICAS AQUI” só será executado quando alguma conexão for aceita e o “accept()” for liberado, até então ele não passará desta linha.
  • bind(): Vincula um endereço ao socket. Vejamos um exemplo na Listagem 3.
    Listagem 3. Usando bind()
    ServerSocket server = new ServerSocket(3322);
    server.bind(new InetSocketAddress("192.168.0.1", 0));
    Porém se você executar o código acima provavelmente terá o seguinte erro:
    “java.net.SocketException: Already bound
    at java.net.ServerSocket.bind(ServerSocket.java:314)
    at java.net.ServerSocket.bind(ServerSocket.java:286)
    at br.com.loginremoto.util.Server.main(Server.java:17)”
    Isso ocorre porque ao criar o ServerSocket ele automaticamente já é vinculado (bind) ao IP atual, e por isso você não pode refazer o bind. Então fique atento para realizar o bind() apenas quando for necessário.
  • close(): Um método de extrema importância que fecha a conexão atual. Qualquer cliente que esteja conectado será automaticamente desconectado.
  • getChannel(): retorna um objeto ServerSocketChannel que corresponde a um canal criado através do método open() da classe ServerSocketChannel. Não entraremos em detalhes do seu uso neste artigo.
  • getInetAddress(): Retorna o endereço de IP local do servidor. Vejamos seu uso na Listagem 4.
    Listagem 4. Recuperando informação do IP
    ServerSocket server = new ServerSocket(3322);                      
    InetAddress inet = server.getInetAddress();
    System.out.println("HostAddress="+inet.getHostAddress());
    System.out.println("HostName="+inet.getHostName());
    Recuperamos o objeto do tipo InetAddress e acessamos seus diversos métodos, um deles são: getHostAddress() e getHostName().
  • getLocalPort(): como o próprio nome já sugere ele retorna o número da porta no qual o servidor está escutando uma conexão.
    Listagem 5. Recuperando a porta
    ServerSocket server = new ServerSocket(3322);                       
    System.out.println("Porta = "+server.getLocalPort());
    Bem simples, veja que na Listagem 5 apenas usamos o getLocalPort() e retornamos no console através do System.out.println o valor da porta.
  • isClosed(): Verifica se o ServerSocket está fechado, assim podemos evitar erros chamando métodos que não poderíamos se ele estivesse fechado.
  • isBound(): Lembre que anteriormente nós tentamos realizar um bind, mas obtivemos um erro porque o ServerSocket já tinha uma endereço vinculado, com o isBound() nós evitamos este erro. Vejamos na Listagem 6.
    Listagem 6. isBound()
    ServerSocket server = new ServerSocket(3322);                      
    if (!server.isBound()){
    server.bind(new InetSocketAddress("192.168.0.1", 0));
    }
  • toString(): Este método nos retorna um valor formatado representando as informações de endereço IP e porta do ServerSocket.

Agora já sabemos como funcionam os principais e mais utilizados métodos da classe ServerSocket, porém ainda precisamos entender o uso da classe Socket.

Socket class

Ao contrário da classe ServerSocket que funciona como um Servidor escutando o cliente, a classeSocket é o cliente propriamente dito. Muito dos métodos estudados na classe ServerSocket estão presentes na Socket e não repetiremos os mesmos conceitos, tais como: bind, close, getChannel e etc, mas vamos ver alguns um pouco diferente que não abordamos anteriormente.

  • getInputStream(): É através deste método que o Servidor (ServerSocket) consegue capturar o que o cliente está enviado. Vejamos na Listagem 7.
    Listagem 7. Lendo o que o cliente enviou
    Scanner entrada = new Scanner(cliente.getInputStream());
    Perceba que capturamos a mensagem do cliente e passamos para um objeto Scanner, depois disso podemos manipular da forma que acharmos necessário as mensagens enviadas.
  • getOutputStream(): Ao contrário do getInputStream() o getOutputStream() envia dados para o outro lado da comunicação, neste caso o ServerSocket.
    Listagem 8. Enviando dados ao servidor
    PrintStream saida = new PrintStream(cliente.getOutputStream());
    Scanner teclado = new Scanner(System.in);
    while (teclado.hasNextLine()) {
      saida.println(teclado.nextLine());
    }
    Na Listagem 8 colocamos o que o usuário está digitando no console na variável “saida” que é do tipo PrintStream, que consequentemente será o que o nosso servidor receberá do outro lado, ou seja, nosso ServerSocket.

Construção da Aplicação

Dado os conceitos que foram apresentados, com o detalhamento e uso dos métodos mais importantes e utilizados com maior frequência, podemos agora começar a desenvolver nossa aplicação para comunicação através do Socket.

Primeiramente vamos construir nossa classe Server com base no que foi ensinado Observe a Listagem 9.

Listagem 9. Server.class

  package br.com.loginremoto.util;
   
  import java.io.IOException;
  import java.net.ServerSocket;
  import java.net.Socket;
  import java.util.Scanner;
  import java.util.logging.Level;
  import java.util.logging.Logger;
   
  public class Server {
      
      public static void main(String args[]){
          try {
              ServerSocket server = new ServerSocket(3322);                       
              System.out.println("Servidor iniciado na porta 3322");
              
              Socket cliente = server.accept();
              System.out.println("Cliente conectado do IP "+cliente.getInetAddress().
                      getHostAddress());
              Scanner entrada = new Scanner(cliente.getInputStream());
              while(entrada.hasNextLine()){
                  System.out.println(entrada.nextLine());
              }
              
              entrada.close();
              server.close();
              
          } catch (IOException ex) {
              Logger.getLogger(Server.class.getName()).log(Level.SEVERE, null, ex);
          }
          
      }
      
  }

Vamos entender o código acima:


  1. Primeiramente criar um objeto do tipo SocketServer na porta 3322, assim podemos escutar conexões do cliente nesta porta. É muito importante que você escolha uma porta que já não esteja em uso por algum serviço do seu sistema operacional. Por exemplo: Se você usar o tomcat na porta 8080, não poderá utilizar esta porta para testar a sua conexão Socket.
  2. Depois nós chamamos o método “server.accept()” que irá “bloquear” a execução do restante da lógica até que uma conexão seja estabelecida. Se você quiser que vários clientes possam se conectar simultaneamente você poderia envolver o “server.accept()” em um laço “while” para que ele possa aceitar diversas conexões até que determinada condição seja atingida.
  3. Ao usarmos o getInputStream() estamos capturando o que o cliente digitou, e neste ponto uma conexão já foi estabelecida, só precisamos trafegar os dados neste “canal de comunicação”. Nosso objetivo aqui é apenas usar o “while” e mostrar no console do servidor o que está sendo digitado no cliente, mas você poderia fazer vários tipos de tratamentos no lado do servidor com os dados recebidos.
  4. Por fim nós fechamos a conexão do servidor e o Scanner, assim o fluxo de transmissão é interrompido.

Repare que nossa classe acima possui um método “main()” e devemos executá-la para que o Servidor comece a escutar uma conexão do cliente, ou seja, executamos a classe acima e depois executamos o cliente que fará a conexão automática neste servidor.

Nosso cliente será composto por um formulário simples com uma caixa de texto (JtextArea) e um Jbutton, assim poderemos enviar tudo que for digitado na caixa de texto para o console do servidor.

Formulário do Cliente

Figura 1. Formulário do Cliente

Na Figura 1 temos a demonstração de como criamos a interface do nosso usuário. Veja que ela é bem simples e leve, ao digitar qualquer texto basta clicar em Enviar Mensagem que esta chegará no Servidor. Vejamos agora na Listagem 10 como foi feita a construção do nosso formulário e a explicação dos métodos.

Listagem 10. Formulário Fclient

  package br.com.loginremoto.gui;
   
  import java.io.IOException;
  import java.io.PrintStream;
  import java.net.Socket;
  import java.util.logging.Level;
  import java.util.logging.Logger;
   
  /**
   *
   * @author ronaldo
   */
  public class FClient extends javax.swing.JFrame {
   
      private Socket cliente;
      
      /**
       * Creates new form FClient
       */
      public FClient() {
          initComponents();
          initCliente();
      }
      
      private void initCliente(){
          try {
              cliente = new Socket("127.0.0.1",3322);
          } catch (IOException ex) {
              Logger.getLogger(FCliente.class.getName()).log(Level.SEVERE, null, ex);
          }
      }
   
      /**
       * This method is called from within the constructor to initialize the form.
       * WARNING: Do NOT modify this code. The content of this method is always
       * regenerated by the Form Editor.
       */
      @SuppressWarnings("unchecked")
      // <editor-fold defaultstate="collapsed" desc="Generated Code">                          
      private void initComponents() {
   
          jScrollPane1 = new javax.swing.JScrollPane();
          jTextArea1 = new javax.swing.JTextArea();
          jButton1 = new javax.swing.JButton();
   
          setDefaultCloseOperation(javax.swing.WindowConstants.EXIT_ON_CLOSE);
   
          jTextArea1.setColumns(20);
          jTextArea1.setRows(5);
          jScrollPane1.setViewportView(jTextArea1);
   
          jButton1.setText("Enviar Mensagem");
          jButton1.addActionListener(new java.awt.event.ActionListener() {
              public void actionPerformed(java.awt.event.ActionEvent evt) {
                  jButton1ActionPerformed(evt);
              }
          });
   
          javax.swing.GroupLayout layout = new javax.swing.GroupLayout(getContentPane());
          getContentPane().setLayout(layout);
          layout.setHorizontalGroup(
              layout.createParallelGroup(javax.swing.GroupLayout.Alignment.LEADING)
              .addGroup(layout.createSequentialGroup()
                  .addContainerGap()
                  .addGroup(layout.createParallelGroup(javax.swing.GroupLayout.Alignment.LEADING)
                      .addComponent(jScrollPane1, javax.swing.GroupLayout.DEFAULT_SIZE, 376, Short.MAX_VALUE)
                      .addGroup(layout.createSequentialGroup()
                          .addComponent(jButton1)
                          .addGap(0, 0, Short.MAX_VALUE)))
                  .addContainerGap())
          );
          layout.setVerticalGroup(
              layout.createParallelGroup(javax.swing.GroupLayout.Alignment.LEADING)
              .addGroup(layout.createSequentialGroup()
                  .addContainerGap()
                  .addComponent(jScrollPane1, javax.swing.GroupLayout.PREFERRED_SIZE, 228, javax.swing.GroupLayout.PREFERRED_SIZE)
                  .addPreferredGap(javax.swing.LayoutStyle.ComponentPlacement.RELATED)
                  .addComponent(jButton1)
                  .addContainerGap(25, Short.MAX_VALUE))
          );
   
          pack();
      }// </editor-fold>                        
   
      private void jButton1ActionPerformed(java.awt.event.ActionEvent evt) {                                         
          try {
              PrintStream saida = new PrintStream(cliente.getOutputStream());
              saida.println(jTextArea1.getText());
              jTextArea1.setText("");
          } catch (IOException ex) {
              Logger.getLogger(FCliente.class.getName()).log(Level.SEVERE, null, ex);
          }
      }                                        
   
      /**
       * @param args the command line arguments
       */
      public static void main(String args[]) {
          /* Set the Nimbus look and feel */
          //<editor-fold defaultstate="collapsed" desc=" Look and feel setting code (optional) ">
          /* If Nimbus (introduced in Java SE 6) is not available, stay with the default look and feel.
           * For details see http://download.oracle.com/javase/tutorial/uiswing/lookandfeel/plaf.html
           */
          try {
              for (javax.swing.UIManager.LookAndFeelInfo info : javax.swing.UIManager.getInstalledLookAndFeels()) {
                  if ("Nimbus".equals(info.getName())) {
                      javax.swing.UIManager.setLookAndFeel(info.getClassName());
                      break;
                  }
              }
          } catch (ClassNotFoundException ex) {
              java.util.logging.Logger.getLogger(FClient.class.getName()).log(java.util.logging.Level.SEVERE, null, ex);
          } catch (InstantiationException ex) {
              java.util.logging.Logger.getLogger(FClient.class.getName()).log(java.util.logging.Level.SEVERE, null, ex);
          } catch (IllegalAccessException ex) {
              java.util.logging.Logger.getLogger(FClient.class.getName()).log(java.util.logging.Level.SEVERE, null, ex);
          } catch (javax.swing.UnsupportedLookAndFeelException ex) {
              java.util.logging.Logger.getLogger(FClient.class.getName()).log(java.util.logging.Level.SEVERE, null, ex);
          }
          //</editor-fold>
   
          /* Create and display the form */
          java.awt.EventQueue.invokeLater(new Runnable() {
              public void run() {
                  new FClient().setVisible(true);
              }
          });
      }
   
      // Variables declaration - do not modify                     
      private javax.swing.JButton jButton1;
      private javax.swing.JScrollPane jScrollPane1;
      private javax.swing.JTextArea jTextArea1;
      // End of variables declaration                   
  }

  1. Perceba que temos logo no início um atributo “private Socket cliente” que usaremos para conexão cliente-servidor. Este atributo será útil para armazenamos a instância de conexão que foi estabelecida com o servidor e não precisar ficar reconectando a todo instante.
  2. No método construtor Fcliente() fazemos chamada a outro método: initCliente().
  3. O initCliente() é responsável por inicializar a conexão cliente com o servidor 3322 que criamos anteriormente, o IP 127.0.0.1 indica que o servidor está na mesma máquina que o cliente, ou seja, local. Nada impede que você faça o teste usando um outro computador como servidor ou até mesmo em uma rede externa.
  4. O método initComponents() é responsável por inicializar e dispor os componentes no nosso formulário, que é um Jframe.
  5. Temos a ação de clique do botão disparando o método jButton1ActionPerformed(), ou seja, quando o usuário digitar seu texto e clicar no botão Enviar Mensagem, esse método será chamado. Neste método temos o uso do getOutputStream() que é responsável por enviar os dados ao servidor, para isso nós capturamos o que o usuário escreveu através do getText() do componente JtextArea e colocando dentro do método println() do objeto PrintStream, assim cada vez que for clicado no botão Enviar Mensagem a mesma aparecerá no console do servidor.
  6. Por fim temos o método main() que nos possibilita executar o Formulário em questão e realizar as operações necessárias.

A nossa limitação é que apenas um cliente por vez pode se conectar ao servidor, isso ocorre porque quando um cliente se conecta ele ocupa a única Thread que o Servidor possui e se outro tentar consequentemente ele não conseguirá. A solução para isso é trabalhar com Multi-threading para aceitar várias conexões simultâneas, mas você deve ficar atento a quantidade máxima de conexões que o servidor pode suportar por isso é importante parametrizar tal recurso. Deixaremos como desafio para que você implemente a solução com vários clientes conectados, a dica é você usar o método accept() dentro de um laço para que várias conexões possam ser aceitas, assim o servidor estará “sempre” esperando uma nova conexão.

Neste artigo vimos o uso da classe Socket e a ServerSocket para construção de uma aplicação básica que faz comunicação entre cliente e servidor. A aplicação de tais conceitos é muito útil em diversas situações, por exemplo:

  • Criar um mecanismo de envio de comandos do cliente para o servidor, onde o servidor irá executar este comando localmente. Ex: Envio um shutdown para o servidor, e este desliga a máquina servidora.
  • Sistema de chat entre Cliente-Cliente e Cliente-Servidor.
  • Sincronismo de informações para sistemas distribuídos, ou seja, sistema que possuem diversos banco de dados podem ser centralizados através de uma comunicação Socket.

E ainda há muitas outras aplicações no qual o Socket é utilizado.

Alguns leitores mais críticos podem se perguntar porque não usar outro mecanismo de comunicação como, por exemplo o muito conhecido RMI (Remote Method Invocation) em vez do Socket. Não entraremos em detalhes sobre o RMI neste artigo, mas o RMI possui uma estrutura de comunicação mais robusta já com multithreading, garbage collection distribuído e muitos outros recursos que o Socket não possui nativamente. Porém para aplicações que necessitam de uma comunicação mais simples, o Socket supri as necessidades, usar o RMI para tais aplicações é como “matar uma formiga com uma bomba”, ou seja, desnecessário. Vale lembrar que nem sempre o mais completo e mais robusto pode ser melhor para o seu cenário, ainda mais quando este é simples e não exige toda essa robustez.