Por que eu devo ler este artigo:A modelagem de um banco de dados é um passo decisivo para o sucesso do projeto em desenvolvimento. A modelagem permite identificar as entidades e seus respectivos atributos que possibilitarão o armazenamento dos dados do projeto. Neste artigo veremos na prática como construir um projeto de banco relacional e, em paralelo, conheceremos alguns conceitos fundamentais do modelo relacional como chave primária, estrangeira, dentre outros.

Para isso, será utilizado como estudo de caso um sistema de saúde composto por entidades como médico e paciente, dentre outros. Ao final, será apresentado o script SQL gerado para criação do banco de dados.

O processo de modelagem de dados é a atividade inicial da construção de um banco de dados, que por sua vez, é uma fase importantíssima presente em todos os projetos de sistemas de informação. Esse processo consiste na busca da melhor forma de representação dos dados que irão apoiar determinado sistema de informação, mapeando todo o fluxo de informação presente no domínio em questão e identificando as relações entre essas informações.

A modelagem de dados consiste também na representação formal da estrutura que o banco de dados deve ter após a sua implementação.

Apesar desse ser um processo fundamental em um projeto de sistemas de informação, tanto os profissionais como as empresas desse ramo não têm dado a devida atenção a esse processo. Isso se deve ao volume de projetos, bem como a diminuição dos prazos e dos custos desses, afetando assim processos importantes nos projetos de software.

Teoricamente, um bom processo de modelagem de dados proporciona um desenrolar mais tranquilo ao projeto de software, pois tende a não comprometer o fluxo do projeto por problemas relacionados ao banco de dados, e consequentemente gera um produto de qualidade e mais confiável, que atende aos requisitos do cliente.

Neste artigo utilizaremos o modelo Entidade-Relacionamento (ER), que é o modelo conceitual de alto nível mais utilizado nos projetos de banco de dados. Utilizaremos também a notação gráfica de representação desse modelo, o Diagrama Entidade-Relacionamento (DER). O modelo Entidade-Relacionamento descreve conceitualmente as entidades e a forma como essas se relacionam.

A Modelagem Conceitual independe da tecnologia que vai ser utilizada para a implementação do banco de dados, pois descreve de forma abstrata o modelo de dados sem a preocupação com o armazenamento físico.

Estudo de caso

Para este projeto foi escolhido como cenário um minimundo dentro de um projeto maior, a criação do Sistema Nacional de Saúde da Pessoa. O escopo definido para este projeto trata apenas a interação entre o paciente e o médico a nível ambulatorial.

No nível ambulatorial, as interações entre o médico e o paciente são estabelecidas através de consultas que são registradas em atendimentos. Para o cadastro de pacientes são indispensáveis o código do SUS, nome, data de nascimento, sexo, estado civil, data de cadastro, tipo sanguíneo e se está ativo ou não. Os pacientes podem ter também apelido, CPF, RG, pai e mãe.

Para o médico realizar atendimentos, é necessário para seu cadastro no sistema data de cadastro, a data de início do contrato, o código do conselho, as especialidades que ele atende destacando a principal, o nome, a data de nascimento, o sexo, o estado civil, o tipo sanguíneo e se está ativo ou não. Os médicos podem ter também apelido, CPF, RG, pai e mãe. As especialidades médicas tem que estar previamente cadastradas no sistema com a descrição, a data de cadastro e se está ou não ativa.

Esses atendimentos são realizados nas unidades de atendimento tendo sempre um diagnóstico, a data em que foi realizado, a descrição do atendim ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo