Resolvendo problemas no Oracle e no SQL Server

Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Para efetuar o download você precisa estar logado. Clique aqui para efetuar o login
Confirmar voto
0
 (1)  (0)

Saber realizar a detecção de problemas e falhas no funcionamento de um banco de dados em produção é essencial para o DBA(administrador de banco de dados). Veja nesse artigo como estas atividades podem ser realizadas no Oracle e no SQL Server.

Fique por dentro
Este artigo descreve como detectar alguns problemas e falhas no funcionamento de um banco de dados em produção. Estes exemplos serão úteis àqueles que pretendem administrar ou dar suporte em um database SQL Server ou Oracle, atuando na reparação e solução de possíveis erros, afim de deixar o banco de dados operacional novamente.

As empresas que possuem áreas destinadas à tecnologia, geralmente possuem uma infraestrutura que suporta todo o ambiente de servidores, redes, e sistemas operacionais. Geralmente estas áreas acabam criando um setor voltado apenas para suportar e detectar problemas relativos a erros causados pelos sistemas e aplicativos, problemas de softwares e hardwares. E assim não poderia ser diferente com as áreas de desenvolvimento e banco de dados.

Se tratando de databases, em algumas empresas onde o ambiente de banco de dados é grande, existem DBAs especializados apenas em suportar e resolver problemas causados pelos SGBDs e pelos componentes de bancos de dados.

Um ambiente de banco de dados, seja ele SQL Server ou Oracle, precisa estar sempre sendo monitorado, o hardware do servidor que armazena os dados deve estar sempre sendo revisto em relação a escalabilidade em processamento, memória e discos físicos. O sistema operacional precisa ser sempre atualizado, e as políticas de segurança devem ser sempre revistas.

Os backups que são feitos diariamente precisam ser sempre conferidos e revisados. Um índice, por exemplo, é um componente do database que precisa sempre estar sofrendo uma manutenção, afinal com o crescimento da tabela, a árvore binária do índice também aumenta e com isso a eficácia deste índice pode ser prejudicada.

Toda ferramenta de banco de dados de mercado possui o seu log, onde através dele o DBA pode ter uma noção mais detalhada da saúde de seu banco de dados. É aconselhável que mesmo conhecendo todo o ambiente, o DBA tenha como tarefa diária verificar cada log a cada dia. Este log é uma ferramenta de auxílio e pode muitas vezes salvar o ambiente de um problema maior.

O dicionário de dados de cada database é um aliado importante que pode ajudar ao DBA detectar como está a performance de seu banco de dados e como caminha a execução dos processos conectados no database.

Neste artigo demonstraremos uma metodologia de troubleshooting e citaremos alguns exemplos de como identificar problemas e falhas relacionadas ao banco de dados nos SGBDs SQL Server e Oracle, e ao mesmo tempo mostraremos a solução para estes problemas.

Troubleshooting

Troubleshooting é a forma de resolver problemas e detectar falhas e erros de modo sistemático onde o analista atua na causa raiz do problema até que este problema seja totalmente resolvido e assim o produto ou processo volte a ficar disponível e operacional.

Em todos os ambientes de databases, sejam eles de maior ou menor criticidade, é importante que o DBA tenha em mente que erros e falhas sempre vão aparecer e indiferente do problema, o profissional precisa considerar que além do foco no processo de identificação, manter a calma é um fator de extrema importância.

Isto pode determinar muitas vezes o melhor caminho na tomada de decisões para o sucesso no processo como um todo.

Alguns passos em relação a troubleshooting se seguidos com cuidado podem ajudar muito no processo de detecção e correção do problema, a saber:

· Sintomas: Conheça os sintomas, uma coleta de evidências é primordial para decidir quais são os passos que devem ser seguidos. Neste aspecto, os logs dos bancos de dados são muito importantes. Sendo assim, colete o máximo de evidências possíveis;

· Problema: Se as consequências não forem catastróficas, reproduza o problema baseando-se nos sintomas evidenciados no passo anterior, assim o analista terá a certeza de que o problema realmente existe;

· Hipóteses: Formule e separe as possíveis hipótese" [...]

A exibição deste artigo foi interrompida :(
Este post está disponível para assinantes MVP

 
Você precisa estar logado para dar um feedback. Clique aqui para efetuar o login
Receba nossas novidades
Ficou com alguma dúvida?