Por que eu devo ler este artigo:Este artigo apresenta a biblioteca da plataforma Android para utilização dos sensores embarcados nos dispositivos com este sistema operacional. Inicialmente conceituamos como os sensores são tratados pela plataforma e os tipos presentes. Em seguida, através da construção de uma aplicação completa, o leitor será apresentado a todas as classes e a maioria dos métodos presentes na API da plataforma. Este artigo é útil principalmente para programadores da plataforma Android que necessitam especializar suas aplicações. O uso de sensores é um meio para atingir este objetivo.

O ano de 2015 começou com alguns temas dominando o mundo da tecnologia. Dentre eles podemos citar principalmente soluções na nuvem e internet das coisas. No segundo caso, o fato está bastante relacionado com o crescimento do uso de sensores por toda a indústria. Seja ela automotiva, de alimentos, de eletrodomésticos, dentre outros.

O barateamento dos sensores também ajudado neste cenário. Para desenvolvedores e engenheiros que adotaram placas microcontroladas para prototipagem eletrônica, é extremamente fácil e barato comprar uma variedade muito grande de sensores. Basta fazer uma pesquisa em sites de e-commerce para verificar que este fato é verdadeiro. Por exemplo, um sensor de luz, mais conhecido como LDR (Light Dependent Resistor), custa em média menos de R$1,00 a unidade. Um sensor DHT, que conta internamente com um sensor de temperatura do tipo NTC e o sensor de umidade é do tipo HR202, sai por menos de R$ 15,00 a unidade.

E para completar, placas para prototipagem ganharam grande relevância nos últimos anos, tendo como grande personagem o Arduino e suas inúmeras versões. Esta placa também não apresenta um custo alto e existem diversas opções na internet ou em lojas especializadas em componentes eletrônicos.

O Arduino foi relevante ao ponto de ter inspirado o Google na criação do ADK (Accessory Development Kit). Este, por sua vez, é um arduino com uma biblioteca para troca serial de dados com aplicativos Android. Desta forma, fica fácil para os desenvolvedores criarem um acessório específico para um software, e vice-versa.

Mas o uso de sensores pela plataforma Android não se restringe a isso. Desde as primeiras versões existe o uso de sensores, sejam eles implementados em hardware ou software. A Tabela 1 lista as quatro principais versões referentes a mudanças no suporte a sensores.

Sensor

Android 4.0
(API Level 14)

Android 2.3
(API Level 9)

Android 2.2
(API Level 8)

Android 1.5
(API Level 3)

TYPE_ACCELEROMETER

Sim

Sim

Sim

Sim

TYPE_AMBIENT_TEMPERATURE

Sim

n/a

n/a

n/a

TYPE_GRAVITY

Sim

Sim

n/a

n/a

TYPE_GYROSCOPE

Sim

Sim

n/a

n/a

TYPE_LIGHT

Sim

Sim

Sim

Sim

TYPE_LINEAR_ACCELERATION

Sim

Sim

n/a

n/a

TYPE_MAGNETIC_FIELD

Sim

Sim

Sim

Sim

TYPE_ORIENTATION

Sim

Sim

Sim

Sim

TYPE_PRESSURE

Sim

Sim

n/a

n/a

TYPE_PROXIMITY

Sim

Sim

Sim

Sim

TYPE_RELATIVE_HUMIDITY

Sim

n/a

n/a

n/a

TYPE_ROTATION_VECTOR

Sim

Sim

n/a

n/a

TYPE_TEMPERATURE

Sim

Sim

Sim

Sim

Tabela 1. Versões do Android e tipos de sensores suportados.

Para a plataforma Android, os sensores podem ser implementados em hardware, software, ou ainda, um misto de ambos. Quando a implementação é hardware, significa que o componente eletrônico está soldado na placa mãe do aparelho, buscando os dados brutos e retornando de volta para o smartphone. A im ...

Quer ler esse conteúdo completo? Seja um assinante e descubra as vantagens.
  • 473 Cursos
  • 10K Artigos
  • 100 DevCasts
  • 30 Projetos
  • 80 Guias
Tenha acesso completo